Botânico

Botânico

A    B    C    D    E    F    G    H    I    K    L    M    O    P    Q    R    S    T    U    V    Z

 

 

herbs-2523119_960_720_1

 

A

 

ABACATEIRO

A sua designação em Latim é Persea gratissima. Árvore originária da América Central, é cultivada nas regiões tropicais e subtropicais da África e da América.  Pertence à família das Lauráceas, sendo utilizado os frutos, as folhas e óleo das sementes.

O fruto é constituído por glicéridos de ácidos gordos insaturados e saturados, fitoesteróis, hidrocarbonetos de cadeia longa, tocoferol, carotenóides, sais minerais, vitaminas do complexo B, aminoácidos, aminas diversas, oses e poli-holósidos.

O óleo das sementes é constituído por óleo fixo, fitosteróis, esqualeno, tocoferóis, carotenóides e corantes. As folhas são constitídas de óleo essencial, aminoácidos, flavonóides, glúcidos, taninos, sais minerais e um constituinte amargo.

Apresenta as seguintes propriedades:

Fruto e óleo essencial (topicamente)

  • Ação protetora e regeneradora da pele;
  • Evitam o envelhecimento da pele;
  • Útil em inflamações cutâneas (exzemas, ictiose, entre outras).

Folhas

  • Antimicrobiana;
  • Adstringente;
  • Nas diarreias;
  • Nutritiva;
  • Externamente, em inflamações orofaríngeas.

 



ABÓBORA

A sua designação em Latim é Cucurbita pepa. Planta herbácea anual, nativa, muito provavelmente originária da América Central e do México, muito cultivado, existindo muitas variedades hortenses. Pertence à família das Cucurbitáceas, sendo utilizada as sementes.

É constituída de óleo gordo com glicéridos de ácidos insaturados, fitosteróis livres e combinados, gamatocoferol, proteínas, aminoácidos (cucurbitina), oligoelementos e pectinas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Sintomas urológicos associados à Hipertorfia benigna da próstata;
  • Na bexiga irritável;
  • Cálculos renais;
  • Ação diurética;
  • Ação emoliente;
  • Ação laxativa;
  • Ação vermífuga.

 



ACÁCIA

É uma fibra solúvel altamente fermentável, já que sofre grande ação da microflora bacteriana saudável do intestino. Além disso, é um estimulante do peristaltismo por aumento do volume fecal (fibra vegetal solúvel), isto é, na presença de água intumesce com formação de uma espécie de "gel" de expansão de volume. Este gel não é absorvido, sendo um veículo de grande quantidade de água, alterando a consistência do bolo fecal. A expansão de volume estimula o peristaltismo por distensão do cólon, sendo o deslizamento das fezes facilitando pela acção lubrificante do gel.

 


 

AÇAFRÃO

O açafrão (Crocus sativus) é uma planta herbácea perene, originária do Mediterrâneo ocidental e tem sido usado na Medicina Tradicional Chinesa para tratar distúrbios do sistema nervoso.

O açafrão possui na sua composição o picrocósido que tem ação digestiva e eupéptica e o safranal que é estimulante do sistema nervoso.

O açafrão é útil nos estados depressivos por estimulação cognitiva, em caso de stress, cansaço, ansiedade e ajuda a uma melhor saúde mental.

O açafrão também é útil nos processos de emagrecimento por controlo do sistema nervoso e consequente redução na frequência da fome.

 


 

AÇAÍ

O fruto da palmeira de açaí (Euterpe oleracea Mart.), uma espécie que é nativa da região amazónica, tem sido objecto de muita atenção devido às suas propriedades antioxidantes e ao seu papel como "alimento funcional". Os estudos bioquímicos revelaram que o açaí é rico em fitoquímicos, especialmente polifenóis, tais como antocianinas, proantocianidinas e outros flavonoides. Devido à sua composição, o açaí demonstra uma forte capacidade antioxidante, ação anti-inflamatória e antiproliferativa.

O açaí leva à melhoria da função endotelial, possui ação cardioprotetora, possui um efeito positivo nas condições crónicas como obesidade,diabetes, cancro e doenças neurodegenerativas.

 


 

ACÉR

A sua designação em Latim é Acer sacharum. Árvore originária da América do Norte, sendo utilizada pelos povos indígenas antes mesmo da colonização europeia. Pertence à família das Aceráceas. Os indígenas descobriram e desenvolveram a arte de extrair a seiva da árvore (sangria) e, após um processo de aquecimento, a doce seiva transforma-se em xarope. Nessa altura, o açúcar era um bem muito raro e dispendioso nessa região, e o xarope desempenhava um importante papel na alimentação deste povos, sendo rica em sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Substituto do açúcar;
  • Desintoxicador e depurador;
  • Redutor do excesso de peso.

 



ACEROLA

A sua designação em Latim é Malpighia glaba. A acerola é originária da América do Sul e Central. è um pequeno arbusto, produzindo um pequeno fruto com o mesmo nome, de cor alaranjada. É muito parecido com uma cereja, sendo por isso conhecido como cereja das Antilhas. Pertence à família das Malpigiáceas. O sumo do seu fruto é muito popular em países como o Brasil e a Jamaica, sendo tradicionalmente utilizado em diversas situações nestes dois países. A acerora contém numerosos oligoelementos, minerais e vitaminas. Contudo, o seu principal interesse reside no fato de ser particularmente rico em vitamina C:

  • Aumenta as defesas naturais;
  • Ação antioxidante;
  • Importante na formação de colagénio;
  • Beneficia a absorção de ferro a partir da dieta;
  • Protege o organismo contra gripes e constipações;
  • Em situações de maior debilidade física.

 



AGNO-CASTO

O Agno-casto (Vitex agnnus-castus) é um arbusto nativo da região mediterrânica e Ásia Ocidental, pertence à família Verbenaceae.

Este arbusto é cultivado em muitas áreas subtropicais, e encontra-se em Portugal em sebes, margens dos rios e terrenos pantanosos, especialmente em Trás-os-Montes.

Os principais constituintes ativos são os flavonóides (casticina, campferol, vitexine, isovitexina, homo-orientina, apigenina, pendulina e outros), diterpenóides labdânicos, glicósidos iridóides, óleo essencial e óleo gordo onde predominam os esteres glicéridos do ácido linoleico.

Tem uma ação estrogénica atribuída aos flavonóides (apigenina, vitexina e pendulina) cuja ação é mediada via recetores estrogénicos, induzindo a expressão de genes dependentes de estrogénio. Está indicado para regular o ciclo menstrual, reduzir a tensão e ansiedade premenstruais e tratar sintomas da menopausa.

 


 

ALCACHOFRA

A sua designação em Latim é Cynara scolymus L. Planta herbácea perene, originária do Norte de África. Cultivada em solos ricos e argilosos na região mediterrânica, admitindo-se ser derivado do C. cardunculus L. (cardo-do-coalho), por seleção natural.

Considerada durante muito tempo uma hortaliça rara, é hoje abundantemente cultivada nas regiões atlânticas. Pertence à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizada as folhas.

É constituída por cinaropicrina, cinarina, ácidos aromáticos, flavonóides derivados da luteolina, mucilagem, pectina, inulina, fitosteróis e sais minerais.

A cinarina (além dos ácidos aromáticos e dos flavonóides) é a principal responsável pelas propriedades da Alcachofra:

  • Ação hepatoprotetora;
  • Benéfica na icterícia;
  • Ação colagoga e colerética;
  • Antioxidante;
  • Propriedades digestivas;
  • Benéfica nos excessos alimentares e alcoólicos.

 



ALCAÇUZ

A sua designação em Latim é Glycyrrhiza glabra. Planta herbácea perene, espontânea no Sudoeste europeu e no Sudoeste e no Sudoeste e Centro asiático, muito cultivada em terrenos férteis, silicosos e frescos. Pertence à família das Fabáceas (Leguminosas), utilizando-se as raízes e os rizomas.

É constituída por saponósidos triterpénicos (destacando-se a glicirriza ou ácido glicirrízico), flavonas, triterpenos, esteróides, hidroxicumarinas, amido, oses e holósidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Anti-inflamatório e espasmolítico;
  • Útil em gastrites;
  • Preventivo da úlcera péptica;
  • Expectorante, mucolítico e antitússico;
  • Nas bronquites;
  • Antiviral e antifúngico;
  • Externamente, em casos de dermatite.

 



ALCARAVIA

A alcaravia (Carum carvi) é uma planta hernácea bienal ou perene da Europa Setentorial e Central e do Médi Oriente, preferindo terrenos da cultura e baldios, muito cultivada.

Possui na sua composição óleo essencial responsável pelo efeito eupéptico, espasmolítico, colagogo, antissético, fungicida e galactagogo e possui flavonóides.

A alcaravia é útil nas perturbações digestivas, como digestivo, estimulante do apetite e carminativo, melhora a função intestinal na obstipação e espasmos.

 


 

ALECRIM

A sua designação em latim é Rosmarinus officinalis. Arbusto vivaz do litoral mediterrânico, em terrenos secos e pobres, principalmente calcários. É muito cultivado e pertence à família das Lamiáceas. Utilizam-se as folhas e o óleo essencial.

O óleo essencial é constituído de alfa-pineno, cânfora e eucaliptol. Possui ainda flavonóides, ácidos polifenólicos e derivados do ácido cafeico (ácido rosmarínico), taninos, constituintes amargos do tipo lactonas diterpénicas, ácidos triterpénicos e álcoois triterpénicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Atividade colerética, colagoga, antiespasmódica e hepatoprotectota;
  • Na doenças dispépticas;
  • Na anorexia;
  • Nas digestões lentas e flatulência por disquinesia biliar;
  • Externamente no reumatismo e nos problemas circulatórios.

 



ALFALFA

A alfalfa (Medicago sativa) é uma planta originária da Europa, Ásia e Norte de África. As sua partes utilizadas para fins terapêuticos são as partes aèreas, cujos constituintes ativos são as isoflavonas (genisteína, daidzeína e biocanina A), esteróis (cumesterol), vitaminas (especialmente a K1). Devido ao seu conteúdo em isoflavonas e cumestrol, possui uma ação vitamínica e remineralizante para além de uma ação estrogénica, pelo que estimulam o rejuvenescimento do tecido cutâneo.

 


 

ALFAZEMA

A sua designação em Latim é Lavandula officinalis ou Lavandula spica. Arbusto vivaz da zona europeia mediterrânica, cresce em solos secos e áridos, calcários e bem expostos ao sol, sendo muito cultivada. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), sendo utilizada as poartes aéreas e as flores, assim como o óleo essencial em aromaterapia.

É constituida pelo óleo essencial, ácidos polifenólicos e dépsicos do ácido cafeico, taninos, cumarinas, flavonóides, triterpenos e fitosteróis.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antiespasmódico;
  • Útil em dispepsias;
  • Na falta de apetite;
  • Em caos de agitação e insónia;
  • Externamente, em problemas circulatórios.

 



ALGAS MARINHAS OU BODELHA

A sua designação em Latim é Fucus vesiculosus. Alga da costa do Atlântico Norte e do Mediterrâneo Ocidental. Em algumas zonas do Oceano Atlântico cobre grandes superfícies, conhecida como mar dos sargaços. Pertence à família das Fucáceas, sendo utilizado o talo.

É constituída por oligoelementos e sais minerais, iodo, bromo, oligo-holósidos, constituintes amargos, vitaminas e pró-vitaminas A e D, lípidos e fucosterol.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Dietas de emagrecimento;
  • Redução da celulite;
  • Inibem o apetite, pois causam uma sensação de saciedade;
  • Em casos de fadiga e cansaço, pelos nutrientes que possuem;
  • Facilitam o trânsito intestinal, graças à sua riqueza em fibras e mucilagens;
  • Estimuante da tiróide, sendo útil em caso de hipo-função da glândula tiroidea;
  • Externamente, em ulcerações dérmicas e hemorragias superficiais.

 



ALHO

A sua designação em Latim é Allium sativum. Planta bolbosa perene, possivelmente originária da Ásia Central e Ocidental, é cultivada em todo o mundo. Pertence à família das Aliáceas (Liliáceas), sendo utilizado os bolbos. Este é constituído por aliinas (sulfóxidos de alquilcisteína), que após hidrólise, pela aliinase, origina vários produtos voláteis odoríferos (alicina, entre outros). Contém ainda fructosanas, açúcares redutores, compostos tiociânicos, sais minerais, saponina e vestígios de vitaminas A, complexo B e C.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Redutor das taxas de colesterol e triglicéridos;
  • Ajuda a baixar a tensão arterial (ação vasodilatadora);
  • Ação antiagregante plaquetar;
  • Promove a circulação sanguínea;
  • Útil na arterioesclerose;
  • Ação antibacteriana e antifúngica;
  • Aumenta a resistência orgânica contra infeções;
  • Útil em casos de gripe (com tosse, bronquite e faringite);
  • Vermífugo intestinal.

 



ALMEIRÃO

A sua designação em Latim é Cichorium intybus. Planta herbácea vivaz, nativa da Europa, mas espalhada mo Norte de África e Ásia Ocidental. Pertence à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizada a raiz.

É constituída em grande parte por inulina, lactonas sesquiterpénicas e outros sesquiterpenos, ácido cafeico e seus derivados (ácido chicórico, ácido clorogénico e outros), hidroxicumarinas, flavonóides e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na perda de apetite;
  • Na dispepsia;
  • Diurético;
  • Nas afeções do fígado e da vesícula.

 



ALOÉ VERA

A sua designação em Latim é Aloe barbadensis. Arbusto perene em qualquer tipo de solo, mas melhor adaptado ao leves e arenosos. Originário da África Oriental e do sul, e da Ásia, encontra-se aclimatado em todo o mundo, preferindo clima quente e húmido. Pertence à família das liliáceas, sendo utilizado o suco concentrado e seco proveniente do látex obtido por incisão na folha, assim como o gel (suco viscoso do parênquima mucilaginoso da folha). O suco concentrado seco é constituído de derivados hidroxiantracénicos (aloínas A e B e os alonósidos A e B) derivados cromónicos, aloerisinas B, A e C e os flavonóides. O gel do parênquima é constituído de mucilagens, glicoproteínas, aminoácidos, enzimas, sais minerais, taninos e vestígios de derivados antracénicos.

O suco concentrado apresenta as seguintes propriedades:

  • A presença de derivados antracénicos justifica a ação laxante, regularizando o trânsito intestinal;
  • Útil na obstipação;
  • Em doses baixas aumenta a produção de bílis;
  • Possui constituintes com ação bactericida e fungicida, pelo que reforça o sistema imunitário;
  • O seu elevado teor nutricional (aminoácidos, vitamina C e E e Zinco) é útil em dietas de emagrecimento.

O gel (aplicação tópica) hidrata e nutre a pele em profundidade, sendo útil em casos de:

  • Queimaduras e feridas;
  • Eczemas;
  • Psoríase;
  • Protetor solar;
  • Na irritação da pele.

 



ALTEIA

A sua designação em Latim é Althaea officinalis. Planta herbácea perene, da Europa e da Ásia Ocidental temperada, cresce nas margens de lagoas e prados húmidos. Pertence à família das Malváceas, sendo utilizada as raízes e, por vezes, as folhas e flores. As raízes são constituídas de mucilagem, amido, pectina, taninos, aminoácidos, e vestígios de óleo essencial. As folhas são constituídas de mucilagem, poli-holósidos e oses, flavonóides, taninos e vestígios de óleo essencial. As flores são constituídas de mucilagem, poli-holósidos e oses, flavonóides e vestígios de óleos essenciais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Anti-inflamatória;
  • Emoliente;
  • Útil na tosse e bronquite;
  • Indicada na irritação da mucosa oral e faríngea;
  • Nas afecções digestivas (úlcera, gastrite e cólon irritável);
  • Externamente, em queimaduras, abcessos, furúnculos e outros processos inflamatórios.

 



AMEIXA

A árvore (ameixeira) pertence à família Rosaceae, nativa da Ásia, pode atingir até os 10 metros de altura. Caracteriza-se por ter folhas pequenas, flores brancas com pedúnculo curto, geralmente solitárias, e frutos (ameixa) geralmente grandes, globosos ou ovais segundo a variedade, geralmente vermelhos-escuros, mas às vezes amarelos ou verdes segundo a variedade. Entre os principais nutrientes da ameixa (Prunus domestica) destacam-se os hidratos de carbono, as vitaminas, o alto teor de fibra e o mineral ferro.

A ameixa é utilizada pelo seu efeito laxante (menos irritante do que outras plantas laxantes, e pode ser utilizada por longos períodos), diurético, e adstrigente.

 


 

AMIEIRO NEGRO

A sua designação em Latim é Rhamnus frangula. De arbusto a árvore, da Euuropa não mediterrânica e do Nordeste dos Estados Unidos da América, cresce nas margens dos cursos de água, em terrenos ácidos e húmidos. Pertence à família das Ramnáceas, sendo utilizadas as cascas secas do tronco e ramos. É constituída por compostos antraquinónicos livres sob a forma de heterósidos (frangulósidos), amido, matérias gordas, fitoesteróis, saponósidos e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Purgativo;
  • Na obstipação;
  • Colagogo em doses baixas.

 



ANANÁS

A sua designação em Latim é Ananas comosus ou Ananas sativus. Planta anual, nativa da América Tropical, cultivada em terrenos silico-argilosos. Pertence à família das Bromeliáceas, sendo utilizado a parte central do fruto maduro. Este é constituído por fibras, enzimas proteolíticas (bromelaína), glúcidos, sais minerais, vitaminas do complexo B, C e ácidos orgânicos (cítrico, málico e tartárico).

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Anticelulitico;
  • Anti-inflamatório;
  • Útil em casos de entorses;
  • Útil em casos de celulite;
  • Nas sinusites exsudativas;
  • Nas inflamações osteoarticulares, musculares e do tecido subcutâneo;
  • Útil em casos de hematomas.

 



ANGÉLICA

A sua designação em Latim é Angelica archangelica. Planta bienal dos Alpes, Pirenéus e regiões montanhosas da Ásia. É espontânea nas montanhas, bosques e lugares sombrios e húmidos do Continente. Pertence à família das Apiáceas (Compostas), sendo utilizada as raízes e, por vezes, as folhas e os frutos.

As raízes são constituídas de óleo essencial, lactonas macrocíclicas, cumarinas, furanocumarinas, sitosterol, ácidos gordos e polifenólicos, taninos, sacarose e substâncias pécticas. Os frutos são constituídos de óleo essencial, furanocumarinas, cumarinas, glicéridos e glúcidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimula as secreções gastrointestinais;
  • Antimicrobiano e espasmolítico;
  • Na anorexia;
  • No desconforto digestivo, com sensação de enfartamento e flatulência;
  • Nas gastrites e enterites;
  • Externamente, em dores reumatismais.

 



ANIS ESTRELADO

A sua designação em Latim é Illicium verum. Árvore de bosques tropicais do Sudoeste da China e Norte do Vietname, cultivada no Sul da China e outras regiões tropicais. Pertence à família das Iliciáceas (Magnoliáceas), sendo utilizado o fruto. Este é constituído por óleo essencial, óleo fixo, mucilagem, taninos e ácidos orgânicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na perda de apetite;
  • Nas dispepsias;
  • Nas flatulências;
  • Na tosse produtiva;
  • Na bronquite;
  • Externamente, em micoses.

 



ANIS VERDE

A sua designação em Latim é Pimpinella anisum. Planta herbácea anual originária da zona mediterrânica oriental e da Ásia Ocidental. Pertence à família das Apiáceas (Umbelíferas), sendo utilizado o fruto e óleo essencial. É constituída de óleo essencial, esteróis, flavonóides, lípidos, cumarinas, glúcidos e resina.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Digestivo e espasmolítico;
  • Útil em problemas dispépticos (perda de apetite);
  • Carminativo;
  • Útil nas gripes, tosse e bronquite;
  • Nas inflamações da boca e faringe;
  • Externamente, nas micoses.

 



AQUILEA, MILEFÓLIO OU MIL-FOLHAS

A sua designação em Latim é Achillea millefolium. Planta herbácea vivaz, nativa da Europa e da Ásia Ocidental, cresce em prados e bermas dos caminhos das regiões temperadas do globo. Pertence à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizada as partes aéreas floridas.

É constituída por óleo essencial, compostos polifenólicos, lactonas sesquiterpénicas, aquileína, compostos azotados, amidas poliénicas e taninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Anti-inflamatória e antimicrobiana;
  • Adstringente e cicatrizante;
  • Propriedades espasmolíticas;
  • Útil na falta de apetite;
  • Nas dispepsias;
  • Em hemorroidas, febites e varizes;
  • Externamente, em afeções ginecológicas, úlceras dérmicas, hemorroidal e queimaduras.

 



ARANDO OU MIRTILO

A sua designação em Latim é Vaccinium myrtillus L. Arbusto nativo da Europa e América do Norte, desenvolve-se em terrenos silicosos e ácidos, de florestas de montanhosa. Pertence à família das Eriáceas.

Utilizam-se os frutos e as folhas. Os frutos são constituídos por taninos, procianidinas oligo méricas, pigmentos antociânicos, ácidos orgânicos, glúcidos, pectinas, carotenos, flavonóides. As folhas também possuem taninos, flavonóides, além de sais minerais e ácidos triterpánicos e fenólicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Anti-inflamatório e anti-hemorrágico;
  • Na insuficiência venosa (aumentam a resistência e diminuem a permeabilidade capilar);
  • Antissético e adstringente;
  • Antidiarreico e hemostático;
  • Na retinite pigmentar e na miopia;
  • Antidiabético e hipoglicemiante;
  • Nas infecções urinárias;
  • Antifúngico.
  •  


ARANDO VERMELHO

A sua designação em Latim é Vaccinum macrocarpon, nativa da América do Norte, pertence à família Ericacea. O arando vermelho é uma baga muito ácida, cor vermelho vivo brilhante. É também conhecido como Cranberry, em inglês.

O arando vermelho é constituído quimicamente por flavonóides, antocianinas, catequina, ácido cítrico, ácido málico, ácido elágico, ácido benzóico e vitamina C. É uma planta medicinal utilizada principalmente na prevenção e como desinfetante das vias urinárias.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antiescorbutico;
  • Antissético urnário;
  • Vasodilatador.

 



ARENÁRIA

A sua designação em Latim é Spergularia rubra ou Arenaria rubra. Planta de 10 a 30 cm, muito ramosa, pétalas purpúreo-violáceas, sensivelmente maiores que o cálice. Originária das áreas temperadas do hemisfério Norte, bem como na Região Mediterrânica, ocorrendo em terrenos húmidos. Pertence à família das Cariofiláceas. Contém na sua composição uma resina, sais minerais, e é muito rica em potássio.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação diurética;
  • Útil em edemas;
  • Na litíase;
  • Em caso de reumatismo.

 



ARTEMÍSIA

A sua designação em Latim é Artemisia vulgaris. Planta vivaz das zonas temperadas do hemisfério Norte, em terrenos incultos, sendo também cultivada. Pertence à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizada as partes aéreas floridas. É constituída por óleo essencial, lactonas sesquiterpénicas, flavonóides, hidroxicumarinas, fitoesteróis e carotenóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Aperitivo e digestivo;
  • Vermífuga;
  • Nas perturbações mentruais;
  • Externamente, nas inflamações cutâneas e mucosas.

 


 

B

 

BACOPA

A bacopa (Bacopa monnieri) tem sido utilizada há vários séculos pela medicina Ayurvédica, com uso tradicional enquanto tónico cerebral para otimizar o desenvolvimento da memória, aprendizagem e concentração e também no alívio da ansiedade.

Os compostos responsáveis pela sua ação farmacológica são os alcaloides, saponinas e esteróis. Entre os alcaloides isolados encontram-se a brahmina e herpestina, as saponinas D-manitol e hersaponina, ácido A e monierina. Também foram identificados outros constituintes ativos, como o ácido betálico, estigmasterol, beta-sitosterol, bem como os bacósidos e bacopasaponinas. os constituintes responsáveis pelos efeitos na função cognitiva são os bacósidos A e B.

Pensa-se que o seu mecanismo de ação esteja relacionado com a sua capacidade de aumentar a transmissão dos impulsos nervosos. Os bacósidos também auxiliam na reparação de neurónios danificados ao aumentarem a atividade cinase, a síntese neuronal, a restauração da atividade sinática e, por último, a transmissão de impulsos nervosos.

Também são relevantes as propriedades ansiolíticas e adptogénicas da bacopa, através da capacidade de redução dos níveis de corticosteronas como o cortisol, a hormona indutora do stress.

 


 

BÁLSAMO DO PERU

A sua designação em Latim é Myroxylon balsamum. Proveniente de árvores de florestas tropicais da América Central (Guatemala, El salvador, Honduras, Panamá e Sul do México), são também cultivadas em muitos países da América do Sul. Pertence à família das Fabáceas (Leguminosas), sendo utilizado o óleo-resina obtido por incisão do tronco.

É constituído por ésteres resínicos, peruviol e óleo essencial, pequenas quantidades de ácido cinâmico livre e vanilina.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antissético;
  • Analgésico e anti-inflamatório;
  • Nas queimaduras e feridas;
  • Em úlceras de decúbito;
  • No hemorroidal.

 



BAMBU

O bambu (Bambusa arundinacea) pertence à família Poaceae alt. Gramineae.

A Bambusa arundinacea é utilizada na medicina Ayurvédica. O bambu é uma das mais ricas fontes de silício contendo cerca de 70% de Silício Orgânico. para além do silício possui na sua constituição ferro e cálcio.

As diferentes partes da planta são compostas por silício, colina, betaína, arginine, cisteína, niacina, histidina, metionina, entre outros componentes.

Esta composição confere ao bambu a ação anti-inflamatória, anti-ulcerosa, antidiabética, antioxidante, regeneradora das articulações, para manter a saúde das unhas, da pele e do cabelo, para repor os níveis corporais de sílicio que diminuem com o envelhecimento e melhora a mobilidade e a flexibilidade das articulações.

 


 

BARDANA

A sua designação em Latim é Arctium lappa. Planta herbácea bienal, comum no Hemisfério Norte, em regiões temperadas. Frequente em terrenos incultos e margens dos caminhos. Pertence à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizada a raiz.

Esta é constituída por polissacáridos com inulina (45 a 60%), mucilagens, lactonas sesquiterpénicas, ácidos fenólicos, vestígios de óleo essencial, fitosteróis, taninos, linhanos e sais de potássio.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Efeito colerético;
  • Antibacteriana e antifúngica;
  • Digestivo e aperitivo;
  • Diaforético (estimula a transpiração);
  • Diurético;
  • Adstringente;
  • Na cistite e outras afeções geniturinárias;
  • Externamente, em afeções dermatológicas (acne, seborreia, psoríase).​

 



BELDROEGA

A sua designação em Latim é Portulaca oleracea. É uma erva com pequenas folhas carnudas, presente na Europa e Ásia e, provavelmente, naturalizada na América do Norte. Pertence à família das Portulacáceas, sendo utilizada a planta inteira.

É constituída de mucilagem, ácido oxálico, alcalóides, cumarinas, flavonóides, ácidos gordos Ómega 3 e proteínas.

Apresenta a seguints propriedades:

  • Anti-inflamatória;
  • Depurativa;
  • Diurética;
  • Emoliente e refrescante;
  • Vermífuga.

 



BETERRABA

A beterraba (Beta vulgaris) tem na sua composição sacarose, vitamina A e C, ferro, carotenoides, fitosterois, saponinas, pectinas (arabinooligossacáridos) e fibras. também tem na sua composição a betaína (flavonoide), que é rsponsável pela cor da beterraba.

Na medicina tradicional, a beterraba possui uma ação hepatoprotetora, hipolipidemiante, remineralizante e vitamínica.

A beterraba também tem uso na estimulação do sistema imunitário e da hematopoiese. Atualmente, tem sido estudada a sua atividade antioxidante enquanto captadora de radicais livres, reduzindo o risco de aparecimento de doenças como o cancro.

 


 

BÉTULA

A sua designação em Latim é Betula alba ou Betula pubescens. É uma grande árvore de origem Europeia e Asiática, comum também nas zonas temperadas da América do Norte. Encontra-se em bosques e matas, mas também é cultivada. Pertence à família das Betuláceas, sendo utilizadas as folhas, e por vezes, cascas e gemas. 

As folhas têm um elevado teor em flavonóides (com predomínio de hiperósido, mas também quercitrina, quercetina e miricetina), óleo essencial, taninos, vitamina C, ácidos fenólicos, resinas e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na infeções urinárias e na urolitíase;
  • Ação diurética;
  • Adjuvante no tratamento do reumatismo;
  • Evita a formação de pedras nos rins e bexiga.

 



BOLDO

A sua designação em Latim é Peumus boldus Molina. Arbusto normalmente de 2 a 3 metros, originário das regiões andinas do Chile com um clima próximo do mediterrânico, em colinas secas e de muito sol. Pertence à família das Monimiáceas, sendo utilizadas as folhas.

Constituída por alcalóides de núcleo isoquinoleico (boldina), flavonóides, óleo essencial, glúcidos e lípidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação colagoga;
  • Aumento da secreção biliar e ação hepatoprotetora;
  • Útil em perturbações digestivas;
  • Na disfunção hepática;
  • Diurético;
  • Na obstipação.

 



BOLSA DE PASTOR

A sua designação em Latim é Capsella bursa-pastoris. Planta herbácea anual ou bienal, nativa da Europa e Ásia das regiões termperadas, em terrenos férteis. Pertence à família das Crucíferas, sendo utilizada as partes aéreas. É constituída de aminas biogenéticas (colina, acetilcolina, histamina, tiramina), flavonóides, saponósidos, taninos, teores alevados de vitamina C, vestígios de óleo essencial e ácido cafeico (e seus derivados).

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Hemostático;
  • No tratamento sintomático das menorragias e metrorragias leves;
  • No caso de haver tendências para hemorragias;
  • Na atonia uterina;
  • Externamente, em feridas superficiais que sangram, em aplicação nasal quando o nariz sangra.

 



BORRAGEM

A sua designação em Latim é Borago officinalis L. Planta herbácea anual, mediterrânica, preferindo terrenos ricos em azoto. Muito cultivada para a produção de sementes. Pertence à família das Borragináceas, sendo utilizada as flores, o óleo obtido das sementes e ocasionalmente das folhas. As folhas e flores são ricas em mucilagem poliholósida, ácidos málico e silício, flavonóides, antocianósidos, vestígios de óleo essencial, alantoína, alcalóides pirrolizidínicos e taninos. O óleo das sementes é constituído principalmente por ésteres de ácidos gordos insaturados (se extraído no começo do Outono), em particular o ácido gama-linolénico (ácido ómega 6), fitosteróis e carotenóides.

Assim, as flores e folhas apesentam as seguintes propriedades:

  • Nas afeções das vias respiratórias: constipações, gripes, inflamações orofaríngeas e bronquites;
  • Nas inflamações geniturinárias;
  • Ação diurética.

​O óleo das sementes apresenta as seguintes propriedades:

  • Útil na hipercolesterolémia;
  • Na síndroma pré-menstrual;
  • Transtornos no climatério;
  • Em afeções dérmicas;
  • Favorece o rejuvenescimento cutâneo;
  • Regulador hormonal.

 



BORUTUTU

A sua designação em Latim é Cochlospermum angolense. É uma árvore que habita em África, em particular em Angola. Pertence à família das Cochlospermáceas, sendo utilizada a raíz. É constituída de quinonas, catequinas, polióis e bioflavenóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Em caso de colesterol elevado;
  • Em caso de hepatite;
  • Nas afeções do fígado e da vesícula;
  • Está também indicado em situações de esteatose hepática e icterícia;
  • Ação colerética, laxante e suavemente purgativa;
  • Externamente, em caso de herpes, chagas e afeções da pele.

 



BOSWELLIA

A sua designação em Latim é Boswellia serrata. É uma árvore que habita as zonas tropicais da Índia. Pertence à família das Burseráceas, utilizando-se a resina sólida obtida por incisões no tronco. É constituída por óleo essencial, resina (com ácidos boswelicos livres e combinados) goma e mucilagens.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação anti-sética e anti-inflamatória;
  • Útil no reumatismo e na artrite reumatóide;
  • Em infeções do aparelho respiratório e urinário;
  • Externamente em furúnculos, feridas, dermatites (psoriase); mialgias e articulações dolorosas.

 



BRÓCULO

A designação de bróculos em Latim é Brassica oleracea L. Pertence à família Brassicacea. 

Os brócolos são ricos em glucorafarina, um tipo de glucosilato. Os glucosilatos são compostos secundários, à base de enxofre , com elevado interesse para a saúde humana, uma vez que auxiliam o fígado no seu trabalho de desintoxicação, para além de possuírem uma ação antimicrobiana.

 


 

C

 

CACAU

A sua designação em Latim é Theobroma cacao. É uma árvore com origem na América Central e Brasil, podendo atingir até 6 metros de altura. Pertence à família das Sterculiáceas. 

É das sementes do cacau que se obtém o chocolate, sendo esta uma das mais importantes aplicações desta espécie vegetal, do ponto de vista económico. Não obstante, também é muito utilizada para fins medicinais. O fruto é de consistência dura e de cor amarelada, contendo numerosas sementes espalmadas, constituindo a parte utilizada. Esta é constituída por ácido ascórbico, óleo essencial, glicerina, açúcares, triglicéridos de ácidos esteáricos, pectina, sais minerais, taninos, teobromina, vitaminas, entre outros.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Utilizado como excipiente pela indústria farmacêutica na produção de cosméticos e supositórios (manteiga e cacau);
  • Estimulante;
  • Diurético;
  • Útil na retenção de líquidos;
  • Útil na hipertensão (promove a vasodilatação);
  • Emoliente;
  • Antissético.

 


 

CAFÉ VERDE

A sua designação em Latim é Coffea arabica ou Coffea canephora robusta. Arbusto ou pequena árvore até 8 metros, sempre verde, muitos ramos vazais. Originária do Sudão e da Etiópia, hoje é cultivada em regiões tropicais do Brasil, México, Colômbia, Angola e Timor. Pertence à família das Rubiáceas, sendo utilizadas as sementes e o carvão das sementes.

É constituída de derivados púricos (metilxantinas), com predomínio da cafeína livre e combinada com ácido cloragénico e de outras pequenas quantidades de derivados púricos (teobramina e teofilina). Ácidos fenólicos (cafeico, ferúlico e seus ésteres), diterpenos livres e sob a forma de glicósidos.

No café torrado ocorrem ainda numerosas substâncias aromáticas e pigmentos. 

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Psicoestimulante;
  • Melhora a capacidade física e desempenho intelectual em bradiarcia;
  • Diurético e auxiliar digestivo;
  • Na adiposidade e no excesso de peso;
  • Auxiliar no tratamento da enxaqueca.
  • O carvão das sementes é utilizado como adsorvente, no tratamento de diarreias a nas inflamações da boca e faringe.

 


 

CAJUEIRO

A sua designação em Latim é Anacardium occidentale. É uma árvore de grande porte (pode atingir os 10 metros de altura), originária do Brasil e da América tropical. Requer temperaturas elevadas e solos húmidos. Pertence à família das Anacardiáceas, utilizando-se as sementes, o fruto, as cascas, as folhas e o óleo. É muito rica em vitamina C, sais minerais, ácido anacárdico, resinas, cardol, cardanol, tanino, um derivado do ácido salicílico e resorcinol.

Apresenta as seguintes propriadades:

  • Ação antiabética;
  • Antipirética;
  • Diurétia;
  • Adstringente;
  • Rubefaciente;
  • Vermífuga.

 



CALÊNDULA

A sua designação em latim é Calendula officinalis. Planta herbácea anual, nativada Europa Meridional, é muito cultivada em todo o mundo.Pertence à família das Asteráceas (Compostas).

É uma planta muito procurada para fins ornamentais, cosméticos e terapêuticos. Utilizam-se as flores, ricas em flavonóides, quinonas, ácidos fenólicos e óleo essencial.

Apresenta as seguintes propriedades (resultantes da aplicação tópica):

  • Ação antibacteriana e fungicida;
  • Ação anti-inflamatória, antiedematosa e antiviral;
  • Ação cicatrizante, particularmente nas primeiras fases de evolução das feridas;
  • Útil em caso de eritemas, queimaduras, dermatoses secas, acne, etc.

 



CAMOMILA

A sua designação em Latim é Chamomila recutita ou Matricaria chamomila. Planta herbácea anual, originária da Europa Meridional e Oriental que se espalhou por toda a Europa, América e Austrália. Encontram-se nas searas, campos cultivados, outeiros e margens dos caminhos. Pertence  à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizado os capítulos florais. É constituída por óleo essencial, lactonas sesquiterpénicas, flavonóides, ácidos fenólicos, cumarinas e mucilagens.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Anti-inflamatório e espasmolítico;
  • Em doenças inflamatórias do trato digestivo;
  • Na falta de apetite;
  • Sedativo;
  • Diaforético e febrífugo;
  • Externamente, nas inflamações da pele, irritação das membranas mucosas orofaríngeas e do aparelho respiratório, inflamações ano-genitais.

 



CANELA

A canela (Cinnamomum zeylanicum), planta obtida da família Laureaceae, tem sido usada na China durante milhares de anos para tratar várias doenças. 

O óleo essencial obtido a partir da casca da canela contém o trans-cinamaldeído, eugenol e linalool. A casca do caule seca de canela contém 4 componentes caraterísticos: cinamaldeído, ácido cinâmico, álcool cinamil e cumarina.

A canela têm sido indicada pelos seus compostos que têm propriedades potenciadoras da insulina e podem estar envolvidos no alívio dos sinais e sintomas da diabetes e doenças cardiovasculares relacionadas com a resistência à insulina.

 


 

CÂNFORA

A sua designação em Latim é Cinnamomum camphora. A canforeira é uma árvore originária do Sul da China e do Japão, sendo cultivada em regiões tropicais e subtropicais. Pertence a família das Lauráceas, sendo utilizada toda a planta para a obtenção do óleo essencial (essência de cânfora). A essência possui elevadas percentagens de cineol, alfa-terpinol, (+) D-cânfora, safrol, mono e sesquiterpenos.

Utilizando externamente, apresenta as seguintes propriedades:

  • Analéptico cardiorespiratório;
  • Na dores reumáticas;
  • Nas mialgias;
  • Antissético;
  • Internamente, na tosse e bronquite.

 



CÁPSICO

A sua designação em Latim e Capsicum frutescens. Planta vivaz, originária das regiões da América tropical, introduzida em diversas regiões quentes do mundo. Pertence a família das Solanáceas, sendo utilizados os frutos. 

É constituído por alcalóides amidas (capsaína, homocapsaicina), carotenóides (capsantina, capsorrubina), flavonóides, óleo gordo, óleo essencial e vitaminas B1, B2 e C.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Espasmos musculares dolorosos, em particular na região dorso-lombar e ombros;
  • Na prevenção da arteriosclerose;
  • Carminativoe digestivo;
  • Na falta de apetite sexual;
  • Estimulante sexual;
  • Externamente, nas inflamações osteoarticulares, espasmos musculares e neuralgias diversas.

 



CARDO MARIANO

A sua designação em Latim é Silybum marianum L. Planta anual ou hibernante, originária da região mediterrânica, vegeta também na Europa Central, na América e Sul da Austrália, em solos secos. Pertence á família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizados os frutos secos. É cosntituída por silimarina (mistura de 3 flavonolinhanos: silibina, silidianina e silicristina), flavonóides, óleo com uma elevada porporção de ácido linoleico, oleico e palmítico, tocoferol e esteróis. Tem ainda um constituinte amargo, ácidos orgânicos (ácido fumárico), poliinas, proteínas e pequena quantidade de mucilagem.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação hepatoprotetora;
  • Ação colagoga e colerética;
  • Ação regeneradora das células hepáticas;
  • Antioxidante;
  • Digestivo;
  • Tónico estomacal;
  • Hemostático;
  • Benéfica nos excessos alimentares e alcoólicos.

 



CÁSCARA SAGRADA

A sua designação em Latim é Rhamnus purshiana DC. Árvore espontânea da região americana do oceano Pacífico, desde o Norte dos Estados Unidos até à Colômbia. A cáscara sagrada pertence à família das Ramnáceas, sendo utilizadas as cascas secas do tronco e ramos que contêm derivados antraquinónicos, taninos, sais minerais e constituintes amargos.

Os constituintes antraquinónicos (principalmente cascarósidos) originam ação colagoga e laxante em doses baixas ou ação purgativa em doses maiores. Trata-se de uma planta muito utilizada na obstipação ocasional (causada por mudanças nos hábitos alimentares, viagens, fatores emocionais, medicamentos, etc.).

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Indicada na obstipação ocasional;
  • Purgativo para limpeza intestinal antecedendo exames radiológicos ou intervenções cirúrgicas;
  • Disquinésia hepatobiliar.
  • Para o tratamento da obstipação crónica ou habitual, recomendam-se laxantes que aumentem o volume do bolo fecal e uma dieta rica em fibras.

 


 

CASTANHA DA ÍNDIA

A sua designação em Latim é Aesculus hippocastanum L. Árvore originária do sudoeste da Europa (Cáucaso), Norte da Grécia, prefere solos secos e está muito difundida nas regiões temperadas. É muito utilizada como árvore ornamental. Pertence à família das Hipocastanáceas, sendo utilizadas as folhas, cascas e sementes (castanha da Índia). 

As cascas são constituídas de heterósidos hidroxicumarínicos (esculósido e fraxóxido), flavonóides, saponósidos triterpénocos, taninos catéquicos, leucoantocianósidos, oligosacáridos e fitostenóis. As folhas são constituídasde heterósidos hidroxicumarínicos (esculósido, escopoletósido e fraxósido), flavonóides, taninos, leucoantocianósidos, vestígios de escina e fitostenóis. As sementes (castanha da índia) são constituídas de flavonóides, hidroxicumarinas, saponósidos triterpénicos (escina), taninos catéquinos, pectina, mucilagem, óleo gordo e glúcidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Aumenta a resistência capilar, tendo propriedades venotónicas;
  • Ação anti-inflamatória, reduzindo a permeabilidade e fragilidade capilar;
  • Útil na insuficiência venosa crónica;
  • Em caso de pernas cansadas;
  • Tratamento de varizes;
  • Em caso de hemorróidas;
  • Externamente, em caso de dores musculares, nevralgias e varizes.

 



CAVALINHA

A sua designação em Latim é  Equisetum arvense L. Planta herbácea vivaz, nativa da Europa, Norte de África, Sul da Ásia e Américaem solos argilo-silicosos, húmidos e sombrios. O Equisetum constitui o único género da família das Equisetáceas, descrito por Lineu em 1753, utilizando-se as partes aéreas estéreis.

É constituída maioritáriamente por sais minerais (em particular os silícios, potássicos e magnésicos), heterósidos de flavonóides, taninos, vitamina C, ácidos fenólicos, manitol e inositol. A sua composição química é formada por grande quantidade de silício e quantidades menores de cálcio, ferro, magnésio, sódio, taninos, entre outros.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Remineralizante;
  • Tonificante do tecido conjuntivo;
  • Aumenta as defesas imunitárias;
  • Diurética;
  • Adstringente do trato urinário;
  • Útil em casos de infeções urinárias e na prevenção da litíase;
  • Participa na calseficação dos ossos;
  • Estimula o metabolismo cutâneo;
  • Fortalece unhas e cabelo;
  • Externamente em feridas e queimaduras.

 



CELIDÓNIA

A sua designação em Latim é Chelidonium majus L. Herbácea vivaz, encontra-se na Europa, Ásia Central e Meridional, aclimatada também na América. Sebes, muros, entulhos até 1500 metros, em locais húmidos. Pertence à família das Papaveráceas. Utilizam-se as partes aéreas floridas e o latex recente.

É constituída por alcalóides do grupo isoquinolina, ácidos orgânicos (málico, quelidónico, cítrico), flavonóides, saponina e carotenóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação antibacteriana;
  • Ligeira ação analgésica;
  • Sedativo e espasmolítico;
  • Nas dores espasmódicas das vias biliares e do trato gastrointestinal;
  • Na anorexia.

 



CENOURA

As cenouras (Daucus carota) constituem uma rica fonte de fibra, antioxidantes, minerais e ß-caroteno. Este último, é o responsável pela coloração laranja típica da sua raíz. o ß-caroteno também é designado de provitamina A (substância que dá origem à vitamina A dentro de um organismo). Ele ajuda no desempenho dos recetores da retina, favorecendo a visão. Também ajuda a manter o bom estado da pele e das mucosas. É um antioxidante lipossolúvel que atua neutralizando os radicais livres, o que promove a eficácea do sistema imunitário. A cenoura apresenta propriedades antiséticas e a vitamina A, por sua vez, é essencial para o crescimento, desenvolvimento e manutenção do tecido epitelial e das membranas mucosas e aumentam a síntese do colagénio.

 


 

CENTELHA ASIÁTICA

A sua designação em Latim é Centella asiatica. Nativa da Índia e do Sul dos EUA, mas distribuída no oceano Índico, de Madagáscar à Indonésia, na Austrália e África do Sul. Prefere regiões tropicais e subtropicais pantanosas e margens dos rios. Pertence à família das Apiáceas (Compostas), sendo utilizadas as partes aéreas. É constituída por saponósidos triterpénicos (asiaticosídeo e centelósido), óleo essencial, taninos, alcalóide, esteróis, heterósidos de flavonóis e poliinas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na insuficiência venosa crónica;
  • Anticelulítico e antirrugas (ação sobre a síntese de colagénio;
  • Na cicatrização de feridas;
  • Tratamento de varizes;
  • Em casos de ansiedade, tem efeitos psicotrópicos;
  • Fissuras anais;
  • Diurético.

 



CHÁ BRANCO

A sua designação em Latim é Camellia Sinensis L. Arbusto ou árvore pequena considerada originária das florestas quentes e chuvosas da Birmânia ao Vietname e da China Meridional. O Chá é uma bebida trazida do oriente, cujo consumo está generalizado em todo o mundo. É cultivado principalmente na Índia, Sri Lanka e China. O tratamento dado às folhas justifica a existência de diferentes chás com origem na mesma planta (vermelho, preto e branco). No caso do chá verde, as folhas são sujeitas a um tratamento mais brando (secas sem fermentação), razão pela qual mantém a sua cor original. Pertence à família das Teáceas, sendo utilizadas as folhas. É constituída por metilxantinas (principalmente cafeína, também denominada de teína), polifenóis, flavonóides, proteínas, galhato de epicatecol, taninos, glúcidos, vitaminas B1, B2 e C, sais minerais e óleo essencial. 

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimula a lipólise (queima de gordura);
  • Estimula a termogénese (produção de calor);
  • Diurético;
  • Ação estimulante sobre o sistema nervoso central;
  • Antiasténico;
  • Antioxidante;
  • Estimulante físico e mental.

O Chá branco é obtido da Camellia Sinensis e o que diferencia do chá verde é a maturação da planta no momento da colheita.

 


 

CHÁ VERDE

A sua designação em Latim é Camellia Sinensis L. Arbusto ou árvore pequena considerada originária das florestas quentes e chuvosas da Birmânia ao Vietname e da China Meridional. O Chá é uma bebida trazida do oriente, cujo consumo está generalizado em todo o mundo. É cultivado principalmente na Índia, Sri Lanka e China. O tratamento dado às folhas justifica a existência de diferentes chás com origem na mesma planta (vermelho, preto e branco). No caso do chá verde, as folhas são sujeitas a um tratamento mais brando (secas sem fermentação), razão pela qual mantém a sua cor original. Pertence à família das Teáceas, sendo utilizadas as folhas. É constituída por metilxantinas (principalmente cafeína, também denominada de teína), polifenóis, flavonóides, proteínas, galhato de epicatecol, taninos, glúcidos, vitaminas B1, B2 e C, sais minerais e óleo essencial. 

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimula a lipólise (queima de gordura);
  • Estimula a termogénese (produção de calor);
  • Diurético;
  • Ação estimulante sobre o sistema nervoso central;
  • Antiasténico;
  • Antioxidante;
  • Estimulante físico e mental.

 



CHÁ VERMELHO

A sua designação em Latim é Camellia Sinensis L. Arbusto ou árvore pequena considerada originária das florestas quentes e chuvosas da Birmânia ao Vietname e da China Meridional. O Chá é uma bebida trazida do oriente, cujo consumo está generalizado em todo o mundo. É cultivado principalmente na Índia, Sri Lanka e China. 

O tratamento dado às folhas justifica a existência de diferentes chás com origem na mesma planta (vermelho, preto e branco). No caso do chá verde, as folhas são sujeitas a um tratamento mais brando (secas sem fermentação), razão pela qual mantém a sua cor original. Pertence à família das Teáceas, sendo utilizadas as folhas. É constituída por metilxantinas (principalmente cafeína, também denominada de teína), polifenóis, flavonóides, proteínas, galhato de epicatecol, taninos, glúcidos, vitaminas B1, B2 e C, sais minerais e óleo essencial. 

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimula a lipólise (queima de gordura);
  • Estimula a termogénese (produção de calor);
  • Diurético;
  • Ação estimulante sobre o sistema nervoso central;
  • Antiasténico;
  • Antioxidante;
  • Estimulante físico e mental.

O Chá vermelho é obtido da Camellia Sinensis e o que diferencia do chá verde é a maturação da planta no momento da colheita e o processo de fermentação após a colheita.

 


 

CIDREIRA

A sua designação em Latim é Melissa officinalis L. É uma planta herbácea vivaz, das regiões meridionais da Europa, Ásia e Norte de África. Também cultivada em lugares húmidos e sombrios em diversas zonas temperadas e quentes. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), utilizando-se as folhas, partes aéreas e o óleo essencial.

É constituída por flavonóides,ácidos e ésteres fenólicos, óleo essencial, aldeídos monoterpénicos e outros monoterpenos, sesquiterpenos e mucilagens poliurónicas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Sedativo;
  • Útil em situações de nervosismo, insónias e palpitações nervosas;
  • Carminativo;
  • Útil na falta de apetite, gastrites e flatulência;
  • Externamente, em afeções cutâneas, equimoses e após picadas de insetos.

 



CIMICIFUGA

A sua designação em Latim é Cimicifuga racemosa e pertence a família dos ranúnculos e é originária da parte leste da América do Norte. É reconhecida por ser tradicionalmente utilizada entre os nativos americanos no tratamento de uma série de problemas, incluindo várias situações únicas das mulheres tais como a amenorreia e a menopausa. Esta planta afecta positivamente o controlo e a produção de hormonas durante a menopausa, por conseguinte ajuda a aliviar os sintomas bem como outras situações clínicas relacionadas com as hormonas.

 


 

CIPRESTE

A sua designação em Latim é Cupressus sempervirens. Árvore originária da Turquia, Síria e Irão, está difundida em toda a bacia mediterrânica, na Ásia e China. Prefere o solo seco e profundo. Pertence à família das Cupressáceas, sendo utilizadas as gálbulas não maduras (fruto), por vezes os rebentos recentes.

É constituída por dímeros oligómeros proantocianidólicos de catecol e do epicatecol, ácidos diterpénicos e óleo essencial.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas insuficiências venosas (varizes e tromboflebites);
  • Na sintomatologia hemorroidal;
  • Expetorante;
  • Nas bronquites;
  • Externamente, em úlceras varicosas, inflamações e nevralgias cutâneas ou osteoarticulares;
  • O óleo essencial é usado na remoção de verrugas.

 



CLORELA

É uma alga verde unicelular que cresce em águas frescas, possuindo várias propriedades benéficas para a saúde. As espécies que se encontram com maior frequência para consumo humano são a Chlorella vulgaris e Chlorella pyrenoidosa, e que são muito populares em países asiátcos como o Japão.

Esta alga constitui uma excelente fonte de proteína vegetal, fibra e carotenoides, entre os quais luteína e ß-caroteno. Contém ainda uma variedade importante de minerais como o ferro, de vitamina C e B12 e de ácidos gordos ómega-3.

Comparada com outras algas, possui teores mais elevados de clorofila, o que poderá apresentar benefícios adicionais ao nível da desintoxicação hepática e distingue-se por conter o factor de crescimento Chlorella que pode contribuir para a regeneração dos tecidos e para estimular a imunidade.

 


 

COGUMELO DO SOL

O cogumelo do sol (Agaricus blazei) tem na sua composição polissacáridos, que incluem várias frações de baixo peso molecular e imunologicamente ativas, e um complexo a-1,6 e a-1,4  glucano, vários complexos polissacárido-proteína, um glucomanano e um heteropolissacárido, com atividade antitumoral.

Os extratos deste cogumelo demonstram ter uma forte atividade in vitro e in vivo contra uma série de linhas cancerígenas, incluindo cancro da mama e do pulmão, bem como têm um interesse sinérgico com a quimioterapia e radioterapia, ao melhorarem os efeitos secundários associados ao tratamento.

Os extratos de cogumelo do sol também têm demonstrado ter propriedades imunoestimulantes ao aumentarem a produção de citocinas.

 


 

COLA

A sua designação em Latim é Cola nitida. Árvore nativa da África Ocidental, é cultivada nos trópicos, principalmente na Serra Leoa, Angola, Nigéria, Brasil e Índia. Pertence à família das Esterculiáceas. Utilizam-seas sementes privadas do tegumento (noz de cola).

É constituída por bases púricas (cafeína livre e combinada com ácido clorogénico, vestígios de teobromina e teofilina), substâncias polifenólicas (catecol, epicatecol), sais minerais, glucósidos, aminoácidos, glúcidos simples e complexos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimulante do sistema nervoso central, devido à cafeína;
  • Estimulante energético;
  • Nas astenia física e psíquica;
  • Possuiu ação vasodilatadora;
  • Levemente hipertensora;
  • Aumenta o metabolismo basal;
  • Promove a lipólise (queima de gorduras);
  • Afrodisíaco;
  • Na depressão;
  • Promove a digestão.

 



CONDURANGO

A sua designação em Latim é Marsdenia condurango. Liana trepadora vivaz da vertente ocidental dos Andes, cresce também na Colômbia, no Equador e no Peru. Pertence à família das Asciepiadáceas, utilizando-se a casca do caule. Esta é constituída por saponósidos esteroídicos (alfa-condurangina e beta-condurangina), taninos, resina, vestígios de óleo essencial, flavonóides, heterósidos cumarínicos e beta-amirina.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimula as secreções salivares e gástricas;
  • Útil na perda de apetite;
  • Nas gastrites e úlceras;
  • Sedativo suave;
  • Depurativo;
  • Externamente, em inflamações, osteoartrite e úlceras cutâneas.

 



CORDYCEPS

O Cordyceps (Cordyceps sinensis) é um cogumelo que tem sido utilizado enquanto suplemento no envelhecimento e na recuperação de doenças prolongadas.

Estudos realizados com este fungo mostram aumentos significativos na captação de oxigénio, na capacidade aeróbica e na resistência à fadiga, em especial na recuperação de doenças após um tratamento de quimioterapia. As evidências sugerem que o Cordyceps exerce um papel na indução da apoptose através da regulação da expressão de várias proteínas.

 


 

CORIOLUS

Coriolus (Coriolus versicolor) é um dos fungos medicinais melhor estudados e com ensaios clínicos bem fundamentados e a justificarem a sua aplicação numa grande variedade de cancros, incluindo o gástrico, esofágico, pulmões, mama e coloretal, com resultados muito interessantes.

O Coriolus demonstrou aumentar a produção de células imunitárias e melhorar os efeitos secundários associados aos tratamentos de quimioterapia e radioterapia.

 


 

CRATAÉGUS

A sua designação em Latim é Crataegus oxyacantha (C. laevigata ou C.monogyna). Arbusto do Centro e Sul da Europa e Canadá, espontâneo nos matos e debes em todos os solos, sendo também cultivado como planta ornamental. Pertence à família das Rosáceas, sendo utilizadas principalmente as partes aéreas floridas, mas também as bagas. É constituída por flavonóides (maioritariamente o hiperósido e a rutina), proantocianidinas oligoméricas, feniletilaminas, ácidos fenólicos, fitosteróis, entre outros.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Aumenta a contractilidade cardíaca;
  • Melhora o fluxo sanguíneo coronário;
  • Exerce uma ação sedativa, compensadora dos desequilíbrios neurovegetativos;
  • Regulariza a tensão arterial e as arritmias;
  • Apresenta também uma ação antioxidante;
  • Relaxante muscular e antiespasmódico em menor grau.   

 


 

CURCUMA

A sua designação em Latim é Curcuma longa L. É um arbusto trepador nativo da flora asiática e da Índia, muito cultivado nos países tropicais. Pertence à família das Zingiberáceas, sendo utilizado os rizomas.

É constituído por óleo essencial, cetonas sesquiterpénicas, o respectivo álcool, o tumerol e hidrocarboneto sesquiterpénico zingibereno, matérias corantes amarelas, glúcidos e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação antidispéptica;
  • Ação colerética, espasmolítica e hepatoprotectora;
  • Ação anti-inflamatória;
  • Propriedades antioxidantes.

 


 

D

DENTE DE LEÃO OU TARAXACO

A sua designação em Latim é Taraxacum officinale. Planta herbácea vivaz do hemisfério setentrional e aclimatada na América do Sul, em prados, pastos e terrenos baldios. Encontra-se nos lameiros, sítios húmidos, campos cultivados, hortas e jardins. Pertence à família das Asteráceas (Compostas). Utilizam-se as raízes e as folhas.

As raízes contêm: constituintes amargos, polifenóis (fitosteróis, flavonóides, derivados da apigenina e da luteolina), triterpenos, inulina, mucilagem e sais minerais. As folhas contêm flavonóides, constituintes amargos e sais minerais (em maior quantidade do que na raiz).

As raízes apresentam as seguintes propriedades:

  • Nas alterações do fluxo biliar;
  • Estimula a diurese;
  • Na perda de apetite;
  • Na dispepsia;
  • Na obesidade, acompanhada de retenção de líquidos.
  • Em todos os estados que beneficiam com a diurese (gota e afeções urinárias).

As folhas apresentam as seguintes propriedades:

  • Na perda de apetite;
  • Na dispepsia (enfartamento e flatulência);
  • Em todos os estados que beneficiam com a diurese (gota e afeções urinárias).

 



DRÓSERA

A sua designação em Latim é Drosera rotundifolia L., Planta carnívora vivaz, espontânea nos lugares húmidos e pantanosos de quase todo o hemisfério Setentrional, na Europa, Ásia e América. Pertence à família das Droseráceas.

Utiliza-se a planta florida. É constituída por derivados compostos 1,4-naftoquinónicos (plumbagona, metil-hidro-juglona, droserona), flavonóides (derivados da quercetina), ácidos orgânicos, taninos e antocianósidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Útil na tosse espasmódica e na tosse seca;
  • Usado nas infeções orofaríngeas;
  • Externamente, como rubefaciente nas nevralgias, mialgias e inflamações osteoarticulares.

 


 

E

 

ENDRO

O Endro (Anethum graveolens) é uma planta da família das Apiaceae, também conhecida como aneto.

Esta erva aromática vem sendo usada desde tempos remotos, como remédio caseiro, pelos Egípcios e Romanos. Pensa-se que seja oriunda da Ásia e que foi trazida para a Europa na Idade Média pelos Mongois e apartir daí se espalhou um pouco por todo o mundo.

O endro reduz a a cidez gástrica e protege a mucosa gástrica contra a ulceração, por inibição da secreção estomacal. O endro tem ação carminativa e estimula a digestão no estômago.

 


 

EQUINÁCIA

A sua designação em Latim é Echinacea purpúrea ou Echinacea angustifolia. Planta herbácea vivaz originária dos prados da parte Central e Oriental dos EUA, sendo muito cultivada, dada a elevada procura mundial desta espécie para fins terapêuticos. Pertence à família das Asteráceas (Compostas).

São utilizadas as raízes. Estas são constituídas por ácidos gordos, óleo essencial, fitosteróis, rutósido, alcalóides pirrolizidínicos, equinacósidos A e B, equinacinas, entre outros.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Imunoestimulante, ativando o sistema imunológico celular não específico;
  • Ativa a formação de leucócitos;
  • Ação anti-inflamatória e antiviral;
  • Profilaxia e tratamento de gripes e constipações, estimulando as defesas naturais do organismo;
  • Protege o aparelho respiratório contra agressões;
  • É útil nos casos de convalescença, sobretudo nos casos de infeções causadas por bactérias e vírus;
  • Externamente, cicatrizante de feridas e ulcerações crónicas.

 



ERVA DE SÃO ROBERTO

A sua designação em Latim é Gerenium robertianum. Planta herbácea anual ou bienal, nativa da Europa Central e Meridional e da Ásia. Encontra-se em terrenos húmidos e sombrios. pertence à família das Geraniáceas, utilizando-se as partes aéreas floridas.

É constituída por óleo essencial, teores elevados de taninos, flavonóides, constituinte amargo e ácidos orgânicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas inflamações gastrointestinais;
  • Antidiarreico;
  • Diurético;
  • Nas afeções do aparelho urinário;
  • Na gota;
  • Na hipertensão;
  • Em caso de diabetes;
  • Topicamente, em afeções osteoarticulares.

 



ESPARGO

O Espargo (Asparagus officinalis) é uma planta medicinal também conhecida como aspargos, aspargo, espargos, aspargo-hortense e melindre.

Contém asparagina, uma substância diurética e calmante, clorofila, que é antioxidante, e saponinas com ação supressora das contrações uterinas. É rico em aminoácidos e minerais (potássio, fósforo e cálcio, principalmente), responsáveis pelas suas propriedades regeneradoras e nutritivas. Auxilia a digestão e está indicado no tratamento de dispepsias, regurgitação e úlceras gástricas. Estimula a lactação em mulheres a amamentar.

Também se utiliza nas dismenorreias e problemas da menopausa, principalmente como refrescante no caso de afrontamentos. E aumenta a fertilidade em ambos os sexos.

A raiz aplica-se na obstipação, estimulando o peristaltismo, e como diurético. É desintoxicante e hepatoprotetor. Tem ação de um tónico cardíaco, reduzindo as palpitações, calmante, é aconselhado em dietas de emagrecimento e para tratar a anemia e diabetes.

 


 

ESPINAFRE

A sua designação em Latim é Spinacia olerácea. É uma planta originária do centro e sudoeste da Ásia, pertencente à família das Amarantáceas, cuja folhas são comestíveis. É uma planta anual e cresce até cerca de 30 cm de altura. O espinafre pode sobreviver durante todo o inverno em zonas temperadas.

As folhas são ricas em minerais, especialmente em ferro e cálcio, mas também fornece vitamina A, E, C e K. O espinafre, especialmente cru, é igualmente uma boa fonte de ácido fólico (vitamina B9).

O espinafre contém ainda carotenoides (betacaroteno) e luteína, sendo uma boa fonte de quercetina (bioflavonoides), o que lhe confere propriedades antioxidantes adicionais. o espinafre é um alimento de eleição para a convalescença e para as crianças em crescimento.

 


 

EUCALIPTO

A sua designação em Latim é Eucalyptus globulus. Árvore originária da Austrália, é cultivada em regiões temperadas, subtropicais e tropicais do mundo, prefere terrenos não secos. Pertence à família das Mirtáceas, sendo utilizada as folhas e o óleo essencial. O óleo essencial, com cerca de 70% de cineol ou eucaliptol, é constituído também de monoterpenos, butiraldeído, capronaldeído, azulenos, taninos, resina e flavonas derivadas do ácido ursólico.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antisético;
  • Mucolítico;
  • Útil em gripes, tosse e inflamações orofaríngeas;
  • Útil no catarro das vias respiratórias;
  • Externamente, o óleo essencial é utilizado em problemas reumáticos.

 


 

F

 

FEIJOEIRO

A sua designação em Latim é Phasaelus vulgaris. Planta herbácea anual que se julga ser originária da América Central e do Sul. São cultivadas inúmeras variedades hortícolas. pertence à família das fabáceas (Leguminosas), sendo utilizada a vagem (pericarpo do fruto sem a semente). 

É constituída por sais do ácido guanidinaminovalérico, aminoácidos, sais minerais (destaque para o crómio), fibras celulósicas, flavonas, ácido silícico e vestígios de heterósidos cianogenéticos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Diurético;
  • Ligeiramente hipoglicemiante;
  • Coadjuvante em afeções urinárias;
  • na retenção de líquidos (edema, obesidade, hipertensão, gota, entre outras).

 



FEL DA TERRA

A sua designação em Latim é Centaurium erythraea. Planta anual de toda a Europa (exceto Islândia), em prados e dunas. Pertence à família das Gencianáceas, sendo utilizada as partes aéreas floridas. É composta de constituintes amargos do tipo secoiridóides, heterociclos monoterpénicos, esteróis, flavonóides, xantonas polisubstituídas e resinas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Aumenta a secreção do suco gástrico;
  • Aumenta a mobilidade gástrica;
  • Útil na perda de apetite;
  • Em casos de dispepsias;
  • Na diabetes;
  • Anti-inflamatório e antipirético.

 



FORSKOHLII

Coleus forskohlii é uma planta nativa da Índia, pertencente à família Labiatae, com uso tradicional na alimentação, tendo ganho projeção por ser a única planta fonte do diterpeno forskolina.

É muito conhecida pela sua atividade vasodilatadora e lipolítica. É um extrato que contém no mínimo 10% de forscolina. Tradicionalmente, tem sido utilizado em tratamentos de hipertensão, insuficiência cardíaca congestiva, eczemas, distúrbios respiratórios, micção dolorosa, insónia e convulsões.

O Coleus forskohlii tem sido estudado e verificou-se que tem também ação nos regimes de emagrecimento, com diminuição da massa gorda e aumento da massa magra.

 


 

FRAGARIA

A sua designação em Latim é Fragaria vesca. Planta herbácea, vivaz, encontra-se nas sebes e bosques, principalmente nas zonas montanhosas de regiões temperadas. Muito cultivada em Portugal e no mundo, pertence à família das Rosáceas. Utilizam-se as folhas, e por vezes, o rizoma e as raízes. É constituída por taninos elágicos, flavonóides, protoantocianidinas oligoméricas, ácidos fenólicos, vestígios de vitamina C (mais nos frutos).

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Adstringente;
  • Diurética;
  • Útil em doenças dos rins e da bexiga;
  • Na gota e na hiperuricemia;
  • Em caso de edemas;
  • Antioxidante;
  • No reumatismo;
  • Nas doenças hepáticas.

 



FRAMBOESEIRO

A sua designação em Latim é Rubus idaeus. É um arbusto originário da Europa, América do Norte, Ásia temperada e espontâneo na Europa Oriental, em florestas de planícies ou de montanha. Pertence à família Rosaceae, sendo utilizadas as folhas. Os seus principais constituintes sãos os taninos (galhotaninos e elagitaninos), ácidos orgânicos, flavonóides, vitamina C e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação adstringente;
  • Ação cicatrizante;
  • Ação anti-inflamatória.

 



FREIXO

A sua designação em Latim é Fraxinus excelsior L. Árvore da Europa, comum em bosques húmidos, solos férteis, geralmente calcários. Pertence à família das Oleáceas. 

Utilizam-se as folhas, e por vezes, a casca. As folhas contém taninos, iridóides, vestígios de cumarinas, flavonóides, derivados hidroxicinâmicos, glúcidos e mucilagens. As cascas contêm, normalmente, maiores quantidades de heterósidos cumarínicos. É utilizada como:

  • Diurética;
  • Nos edemas;
  • Uricosúrico;
  • Na gota e hiperuricemia;
  • Anti-inflamatório leve;
  • Nas doenças inflamatórias reumatismais;
  • Vasoprotetor e venotónico;
  • Laxante osmótico;
  • Na gripe.

 



FUMÁRIA

A sua designação em Latim é Fumaria officinalis. Planta herbácea anual em toda a Europa e Norte de África, espalhada um pouco por todo o mundo, em terrenos cultivados e ligeiros. Pertence à família das Papaveráceas, sendo utilizada as partes aéreas da planta florida. 

É constituída por ácidos fenólicos, flavonóides, alcalóides benzilisoquinolínicos, taninos, sais potássicos e ácido fumárico.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Útil nas disfunções da vesícula, canais biliares e do trato gastrointestinal;
  • Como depurativo, no tratamento de fundo das dermatites;
  • No reumatismo e na artrite;
  • Diurético;
  • Na asma.

 



FUNCHO

A sua designação em Latim é Foeniculum vulgare Miller. É uma planta herbácea perene, nativa da bacia do Mediterrâneo. É espontânea nos Açores e na Madeira, sendo que a sua abundância está na origem do nome da cidade do Funchal, a atual capital madeirense. Pertence à família das Apiáceas, sendo utilizado o fruto, e algumas vezes as folhas e raízes. 

Os frutos são constituídos por fitosteróis, cumarina, óleo essencial, polissacáridos e proteínas. As folhas são constituídas por flavonóides e vestígios de óleo essencial, enquanto as raízes são constituídas por cumarinas, sais minerai e vestígios de óleo essencial.

Os frutos e óleo essencial apresenta as seguintes propriedades:

  • Útil nas cólicas gastrointestinais;
  • Nas dispepsias leves;
  • Em caso de flatulência;
  • No catarro das vias aéreas superiores;
  • Antissético;
  • Em doses elevadas, emenagogos.
  • ​As folhas apresentam uma ação cicatrizante e antissética, enquanto que as raízes têm uma ação diurética.

 


 

G

 

GARCÍNIA

A sua designação em Latim é Garcinia cambogia. Arbusto ou pequena árvore originária das florestas da região do Camboja, Sul de África e Polinésia, é cultivado na Índia e em países do extremo Oriente. pertence à família das Gutiferáceas, utilizando-se a casca seca e polpa do fruto. É constituída por ácido hidroxicítrico, lactonas hidroxicítricas, antocianósidos, compostos fenólicos e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • No controlo do apetite;
  • Em caso de obesidade;
  • Nas hiperlipidémias.

 



GENCIANA

A sua designação em Latim é Gentiana lutea. Planta herbácea vivaz em grande parte da Europa, exceto a parte sententrional e a mediterrânica, em prados de zonas montanhosas geralmente em terrenos argilosos. Pertence à família das Gencianáceas, sendo utilizado o rizoma e as raízes.

Estes são compostos por: constituintes amargos de tipo secoiridóides, pigmentos amarelos derivados de xantonas,di e trissacáridos, óleo gordo, pectinas e vestígios de óleo essencial.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimulante das secreções gástricas;
  • Útil em problemas digestivos e falta de apetite;
  • Anti-inflamatório;
  • Nas flatulências;
  • Nas disquinesias biliares;
  • Cicatrizante e imunoestimulante.

 



GENGIBRE

O Gengibre (Zingiber officinale Roscoe, Zingiberacea) é uma planta medicinal que tem sido amplamente utilizada como medicamento fitoterápico na MTC, Ayurvedica e Tibb-Unani em todo o mundo desde a antiguidade, para uma ampla gama de doenças não relacionadas, que incluem artrite, reumatismo, entorses, dores musculares, dores, dores de garganta, cólicas, prisão de ventre, indigestão, vómitos, hipertensão, demência, febre, doenças infeciosas e helmintíases.

O extrato de gengibre é também uma substância antioxidante forte e pode mitigar ou evitar a produção de radicais livres.

 


 

GILBARDEIRA

A sua designação em Latim é Ruscus sculeatus. Arbusto vivaz, comum na zona Atlãntica até à Europa Central e Meridional, igualmente presente no Sudoeste da Ásia e no Norte de África. Cresce em terrenos arborizados e terrenos incultos de preferência calcáreos. Pertence à família das Liláceas, sendo utilizado os rizomas e as raízes.

Os principais constituintes são os saponósidos (em particular a ruscogenina), flavonóides, sais de potássio e óleo essencial.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas insuficiências crónicas venosas, com dor, peso, prurido e edema nas pernas;
  • No tratamento das hemorroidas;
  • Nas afeções urinárias, por aumentar a diurese;
  • Nas inflamações pélvicas.

 


 

GINKGO BILOBA

A sua designação em Latim é Ginkgo biloba L. É considerada uma árvore sagrada no Oriente e um verdadeiro fóssil vivo (com mais de 270 milhões de anos). Originária da China, Japão e Coreia, é cultivada em diversos países (França e Sudoeste dos Estados Unidos da América). Pertence à família das Ginkgoáceas, sendo utilizada as folhas. 

É constituída por ginkgólidos A, B, C, J e M, flavonóides e biflavonóides, proantocianidinas, glúcidos, ácidos gordos, fitoesteróis e sesquiterpenos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antioxidante;
  • Útil em problemas cognitivos e de memória associados à idade;
  • Inibem a agregação plaquetar, prevenindo a formação de coágulos;
  • Alívio dos problemas circulatórios, em particular a nível cerebral;
  • Útil na claudicação intermitente;
  • Em caso de dor de cabeça e ansiedade, resultantes da insuficiência vascular cerebral;
  • Útil em caso de tonturas ou de zumbidos.

 



GINSENG

A sua designação em Latim é Panax ginseng C. A. Meyer. Arbusto vivaz, originário do Nordeste da China, Leste da Rússia e Coreia do Norte, hoje, praticamente é obtido através de cultura em terrenos férteis e bem drenados e por a planta espontânea se ter esgotado. Pertence à família das Araliáceas, sendo utilizada a raiz.

Esta é constituída por saponósidos triterpénicos tetracíclicos poli-hidroxilados (principais constituintes), tendo-se descrito já 14 ginsenósidos (Rb1, Rb2 e Rg1 são os principais). Ocorrem também glúcidos, fitoesteróis, vitaminas do complexo B, óleo essencial, peptídeos, poliinas, hidrocarbonetos e álcoois sesquiterpénicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Aumenta a capacidade de resistência às doenças e ao stress por ação sobre o eixo hipotálamo-hipófise-córtex suprarenal (atividade adaptogénica);
  • Exerce uma influência normalizadora do corpo, tendo um efeito tonificante generalizado;
  • Aumenta a longevidade e o crescimento das células normais;
  • Ação antiviral e antiagregante plaquetar;
  • Tónico cardíaco;
  • Aumenta a resistência não específica do organismo, atuando positivamente contra os efeitos e fatores externos negativos;
  • É conhecido como um agente antisstress e como um estimulante do sistema imunitário;
  • Aumenta as performances físicas e intelectuais;
  • Útil em indivíduos com um ritmo de vida acelerado, convalescentes, no cansaço geral e na impotência sexual.

 


 

GOJI

As bagas de Goji (Lycium barbarum) são utilizadas para fins terapêuticos, porque são compostas por polissacáridos e proteoglicanos, carotenoides (zeaxantina), flavonóides glicosilados (quercetina) ácidos fenólicos (p-cumárico, cafeico, vanílico), entre outros.

Pensa-se que as bagas de goji melhoram o bem-estar geral, estimulam o metabolismo, têm propriedades imunomoduladoras, anti-inflamatórias e antioxidantes, ao proteger o organismo contra os danos causados pelos radicais livres, além de ter propriedades antibacterianas e anticancerígenas.

 


 

GRAMA

A sua designação em Latim é Cynodon dactylon ou Agropyrum repens. Planta herbácea vivaz, nativa das regiões temperadas do Hemisfério Norte. Em Portugal, encontra-se nos campos cultivados, sebes e margens dos caminhos. pertence á família das Poáceas (Gramíneas), sendo utilizado o rizoma. é constituído por polissacáridos (como a triticina), ácido silícico livre e combinado, poliálcoois (manitol e inositol), saponósidos, óleo essencial e mucilagens.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Diurético;
  • nas inflamações do aparelho urinário;
  • Na prevenção da litíase;
  • Remineralizante;
  • Antissético;
  • Útil em casos de obesidade, em particular se acompanhada de retenção hídrica.

 



GRAVIOLA

A sua designação em Latim é Anona muricata. A gravioleira pode atingir os 5 ou 6 metros de altura. possui folhas verdes brilhantes e flores amarelas, grandes e isoladas, que nascem no tronco e nos ramos. Os frutos têm um formato ovalado, casca verde com falsos espinhos carnudos. O fruto é muito popular nos países da América Latina. pertence à família das Anonáceas, sendo utilizado as folhas, as sementes e os frutos. 

É constituída por lactonas, alcalóides e acetogeninas anonáceas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Coadjuvante em situações neoplásicas;
  • Inibidora da cadeia respiratória do Complexo I (em cálulas neoplásicas);
  • Vermífugo;
  • Antiespasmódica.
  • Como também é um estimulante uterino, não deve ser utilizado por grávidas. Os hipotensos também devem evitar o seu consumo.

 


 

GRIFFONIA

Griffonia simplicifolia é uma planta que cresce no Oeste de África, como por exemplo Gana e Togo. A Griiffonia simplicifolia aumenta a atividade da serotonina, uma hormona produzida pelo cérebro que está envolvidcom o humor, sono e apetite. A diminuição de serotonina tem sido associada à depressão, insónia, transtornos obcessivo-compulsivos, assim como distúrbios alimentares que causam a obesidade, ou o inverso, a bulimia.

O 5-hidroxitriptofano (5-HTP) é o principal componente ativo da semente da Griffonia simplifolia. O extrato padronizado de Griffonia simplicifolia é considerado fonte natural de 5-HTP. O 5-Hidroxitriptofano é um aminoácido naturalmente encontrado em níveis significantes nas semente da Griffonia simplicifolia e utilizado no tratamento de numerosos efeitos associados à síndrome da Deficiência de Serotonina. O 5-HTP pode ser útil em caso de depressão a ainda auxiliar na ação de antidepressivos tradicionais. Além da Griffonia, há outras fontes de 5-HTP, como o leite e seus derivados, carne de peru, tâmaras, amendoim e a maioria dos alimentos ricos em proteínas.

 


 

GROSELHERO NEGRO

A sua designação em Latim é Ribes nigrum. Também é utilizado o Ribes rubrum L. Arbusto espontâneo das regiões temperadas do Norte e Centro da Europa, Ásia Ocidental e Central. Muito cultivado em solos argilosos bem drenados. Pertence à família das Saxifragáceas, sendo utilizado o fruto (bagas), as folhas e os rebento. As folhas contém numerosos flavonóides, pequena quantidade de óleo essencial, prodelfinidóis, taninos, vitamina C e minerais. Os frutos são ricos em antocianósidos, flavonóides, pectinas, taninos, teor elevado de vitamina C, sais de potássio, glúcidos e sais orgânicos.

As folhas apresentam as seguintes propriedades:

  • Diurético;
  • Ação adstringente;
  • Estimulam as glândulas suprerrenais;
  • Na hipertensão;
  • Na artrite e gota;
  • Topicamente, em feridas, ulcerações e faringites.

Os frutos (bagas) apresentam as seguintes propriedades:

  • Diurético;
  • Na fragilidade capilar e microangiopatias retinianas;
  • Na tosse, gripes e constipações (devido à vitamina C);
  • No reumatismo gotoso.

 



GUARANÁ

A sua designação em Latim é Paullinia cupana. Arbusto trepador que pode atingir 10m de altura, é nativo do Brasil e do Uruguai, abundante nas margens do rio Amazonas, sendo muito cultivado no Norte do Brasil. Pertence à família Sapindáceas, sendo utilizadas as sementes. Estas são constituídas por cafeína, vestígios de teofilina e de teobromina, taninos catéquicos, saponósidos, colina, resina, mucilagens, pigmentos e amido.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Estimulante;
  • Diminui a fadiga motora e psíquica;
  • Aumenta o metabolismo das gorduras;
  • Tónico e energético;
  • Diurético;
  • Afrodisíaco;
  • Útil em dietas de emagrecimento e em casos de fadiga.

 



H

 

HAMAMÉLIS

A sua designação em Latim é Hamamelis virginiana. Árvore pequena ou arbusto, frequente nos bosques húmidos da zona Norte e Oriental dos Estados Unidos da América e do Canadá. Pertence à família das Hamamelidáceas, sendo utilizadas as folhas e, menos vezes, a casca. As folhas são constituídas por: taninos, flavonóisdes e derivados de flavónicos, ácidos fenólicos, vestígios de óleo essencial, proantocianósidos e constituintes amargos. As cascas apresentam maiores quantidades de taninos, vestígios de óleo essencial e saponósidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas varizes, flebites e hemorroidal;
  • Ação adstringente e cicatrizante;
  • Reduz a permeabilidade vascular, exercendo uma ação vasoprotetora (aumenta a elasticidade das veias e a resistência capilar);
  • Útil em traumatismos;
  • Nas inflamações ou hemorragias cutâneas e das mucosas;
  • Externamente, é usada em conjuntivites, blefarites, inflamações da orofaringe, ulcerações cutâneas, purido, entre outras;
  • Com ação hemostática, controla pequenas hemorragias.

 



HARPAGO

A sua designação em Latim é Harpagophytum procumbens DC. Planta rastejante vivaz, originária das savanas do Kalahari, Namíbia, Bostswana e África do Sul, prefere solos argilosos ou qrenosos em terrenos baldios. Pertence à família das Pediliáceas, sendo utilizadas as raízes secundárias tuberizadas. Esta é constituída por iridóides muito amargos (principalmente o harpagósido com 0,1 a 2%, harpágido, procímbio e procombósido), flavonóides, fitosteróis, ácido cinâmico, óleo gordo, ceras e glúcidos diversos (cerca de 70%, com predomínio de oligossacáridos).

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Artrites e artroses;
  • Reumatismo e todas as manifestações articulares dolorosas;
  • Fibromialgias;
  • Traumatismos;
  • Entorses;
  • Dores musculares;
  • Excesso de ácido úrico;
  • Na perda de apetite;
  • Nas dispepsias;
  • Na diabetes;
  • Como anti-inflamatório e analgésico.

 


 

HIBISCO

A sua designação em Latim é Hibiscus sabdariffa. Arbusto vivaz, originário da Ásia tropical e do Sudão, tendo-se espalhado pelas zonas tropicais. Utilizam-se as flores, sendo ricas em ácidos orgânicos (cítrico, málico, tartárico e hibíscico), compostos antociãnicos, derivados flavónicos, mucilagens ricas em ácidos urónicos e pectinas. Os extratos aquosos têm mostrado ação anti-inflamatória, espasmolítica e hipotensora. 

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Descontamina o meio urinário em apenas umdia;
  • Ajuda a diminuir a aderência das bactérias às paredes do trato urinário;
  • Atua sobre a E.coli e a Candida Albicans;
  • Promove o conforto urinário;
  • Contribui para a diminuição em 77% da incidência de infeções urinárias.

 



HIDRASTE

A sua designação em Latim é Hydrastis canadensis. Planta herbácea vivaz frequente nos bosques de árvores de folha caduca da parte Leste do Canadá e dos Estados Unidos da América. Pertence à família das Berberidáceas (Ranunculáceas), sendo utilizado o rizoma. Este é constituído por alcalóides (berberina, hidrastina, hidrastininae, vestígios de canadina), amido, resinas, óleo gordo, fitosteróis, vestígios de essência e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Hemostático;
  • Vasoconstritor;
  • Adstringente;
  • Útil em hemorragias;
  • Em varizes e úlceras varicosas;
  • N atonia uterina;
  • Antiparasitário e antimicrobiano;
  • Externamente, no herpes labial, varizes, hemorróidas, vaginites, conjuntivites e faringites.

 



HIPERICÃO

A sua designação em Latim é Hypericum perforatum. Planta herbácea vivaz presente em toda a Europa, exceto a Islândia, na Ásia e no Norte de África, terrenos incultos, bosques pouco densos, prados secos, geralmente solo calcário. Encontra-se em campos, sebes, prados e margens dos caminhos do Continente e Madeira. Pertence à família das Gutiferáceas (Hipericáceas), utilizando-se as partes aéreas floridas.

Estas são constituídas por naftodiantronas (0,1 a 0,6%, hipericina, pseudo-hipericina, isso-hipericina, proto-hipericina), flavonóides (hiperósido, amentoflavona, rutósido, quercitrósido, isoquercitrósido), derivados do floroglucinol (hiperfprina), ácidos (cafeico, clorogénico, gentísico, ferúlico), proantocianidinas, óleo essencial, fitoesteróis, furanocumarinas, taninos e glúcidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Atua nas depressões ligeiras e moderadas;
  • Útil em casos de exaustão nervosa e stress;
  • Calmante e tranquilizante;
  • Útil na ansiedade e em problemas de humor;
  • Promove um sono reparador;
  • Em dispesias e cólicas gastrointestinais;
  • Externamente, em contusões, mialgias e queimaduras ligeiras.

 


 

HORTELÃ-PIMENTA

A sua designação em Latim é Mentha x piperita. Planta herbácea vivaz, cultivada na Europa, Ásia e América do Norte por via vegetativa, por ser um híbrido estável e infecundo. Pertence á família das Lamiáceas (Labiadas).

Utilizam-se as folhas e o óleo essencial. estes são constituídos por óleo essencial, flavonóides, taninos, triterpenos, resinas, ácidos fenólicos e constituintes amargos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas perturbações do fígado e da vesícula biliar;
  • Na flatulência;
  • Promove a digestão;
  • No cólon irritável;
  • Profilaxia das infeções, em particular das vias respiratórias;
  • Na tosse, bronquite e faringite;
  • Externamente, em sinusite e mialgias.
  • O óleo essencial das folhas, o mentol, pode ser usado externamente, como refrescante, emoliente, calmante, desodorizante, balsâmico e estimulante.

 


 

HUPERZIA

A sua designação em Latim é Lycopodium serratum. É um tipo de musgo que cresce na China. Pertence à família das Lycopodiáceas, sendo conhecida na china como "Jin Bu Huan". 

É utilizada sobretudo pela sua riqueza em Huperzine A (alcalóide).

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Útil na diminuição da capacidade cognitiva relacionada com a idade;
  • Impede a degradação da acetilcolina no sistema nervoso;
  • Anti-inflamatória;
  • Antipirética.

 



I

 

INHAME OU WILD WAM

O Wild Yam (Dioscorea villosa) é uma planta herbácea vivaz originária da América do Norte e da América do Norte e da América Central. É cultivada na Índia e outras regiões de clima tropical e temperado, em locais com sol e bem drenados.

É constituído por sapogeninas de núcleo esterol (diosgenina9; glúcidos; proteínas, sais minerais, ß-caroteno, vitamina C, alcaloides isoquinuclidínicos (dioscorina). 

Wild Yam é utilizado como alternativa à terapia de substituição com estrogénio, secura vaginal em mulheres mais velhas, a TPM (tensão pré-menstrual), cólicas menstruais e ossos fracos (osteoporose).

 


 

K

 

KONJAC

O Konjac (Amorphophallus konjac) é uma planta vivaz de países asiáticos (China e Japão), sendo hoje cultivada no oriente e Extremo Oriente. A sua parte com aplicação prática são os rizomas, dos quais se extraem a goma (goma de konjac), que têm na sua constituição glucomananas e outras mucilagens, hemicelulose e amido. As glucomananas originam no estômago um aumento de volume, levando à diminuição do apetite. Em conjunto com outras mucilagens exercem também um efeito laxante, emoliente e hipolipidémico. existe cada vez mais evidência que suporta os efeitos benéficos das fibras dietéticas, em particular das fibras solúveis na perda de peso.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • No controlo do apetite;
  • Na redução da absorção das gorduras;
  • Para melhorar a função intestinal;
  • Emagrecimento;
  • Laxante.

 



L

 

LABAÇA

A sua designação em Latim é Rumex crispus. Planta herbácea vivaz, indígena da Europa e Ásia, muito cultivada em climas temperados. Pertence à família das Poligonáceas, sendo utilizados os rizomas e as raízes e, por vezes, as folhas.

Estes são constituídos por hidroximetilantraquinonas, ácido oxálico livre e sob a forma de oxalato de potássio, flavonóides, óleo essencial, taninos e sais de ferro:

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Laxante suave;
  • Diurética;
  • Depurativa em afeções dermatológicas;
  • na desintoxicação hepática;
  • Nas rinites e bronquites;
  • Nas anemias.

 



LARANJA AMARGA

A Laranjeira amarga (Citrus aurantium) é uma árvore originária do Sudeste da Ásia tropical e subtropical, introduzida pelos árabes em países mediterrânicos e depois difundida em outras regiões do globo. As suas partes utilizadas são as flores, pericarpo e mesocarpo (o fruto). O mesocarpo contém flavonóides responsáveis pelo sabor amargo (naringósido, não-hesperidósido) e outros não amargos (rutósido, hesperidósido, sinensetósido), óleo essencial com limoneno e outros monoterpenos, furanocumarinas, sais minerais, pectina e ácidos orgânicos (cítrico, ascórbico e málico).

Apresenta as seguintes propriedades:

  • No emagrecimento;
  • Contribui para o metabolismo das gorduras;
  • Nos sintomas dispépticos.

 



LARANJEIRA

A planta Laranjeira (Citrus aurantium dulcis) é uma árvore proveniente de climas temperados, com origem no sudoeste asiático.

Para fins terapêuticos são utilizadas as flores devido ao seu óleo essencial, a polpa do fruto e o óleo essencial do epicarpo. O óleo essencial contém na sua composição limoneno, linalol, antocianinas e flavonóides. para além das suas funções aromatizantes, as antocianinas e os flavonóides conferem uma ação anti-radicalar.

 


 

LEVEDURA DE CERVEJA

A sua designação em Latim é Saccharomyces cerevisae. A levedura de cerveja é um organismo eucariótico unicelular que pertence ao grupo dos fungos. Pode-se dizer que é o principal elemento da biotecnologia tradicional, pelo seu papel na produção de pão, vinho e cerveja, devido a sua capacidade de produzir etanol (presente em bebidas fermentadas como a cerveja) e dióxido de carbono (que permite a expansão da massa do pão) a partir de açúcares.

O seu interesse como suplemento alimentar resulta da sua riqueza em vitaminas do complexo B, proteínas (contém todos os aminoácidos essenciais) e minerais (sobretudo fósforo, ferro, potássio e crómio).

Apresenta as seguinte propriedades.

  • Promove a reconstituição da flora intestinal;
  • Útil em caso de diarreias;
  • Estimula as defesas naturais;
  • Fortalece a estrutura dos cabelos e unhas;
  • útil em casos de fadiga e na convalescença;
  • Tem um efeito hipoglicemiante (baixa os níveis de glicemia no sangue);
  • Constitui uma fonte rica de nutrientes.

 



LIMÃO

A sua designação em Latim é Citrus limon ou Citrus medica ou Citrus limonum. O limoeiro é uma árvore muito cultivada em regiões temperadas, pertencendo à família das Rutáceas. o seu fruto tem uma casca muito espessa e irregular,e a polpa é muito ácida.

Utilizam-se o pericarpo e o suco. No pericarpo encontram-se os seguintes constituintes: óleo essencial (dipenteno, a-pineno, ß-pineno, citral, citronelal, terpineol, canfeno, felandreno), cumarinas (limetina, bergamotina), citroflavonóides (neo-hesperidósidos, rutinósidos), carotenóides, mucilagens, oxalato de cálcio, pectinas. Por seu turno, no suco encontram-se: pectinas, ácidos orgânicos (ascórbico, cítrico, málico), flavonóides e açúcares. 

Pela sua composição o pericarpo apresenta as seguintes propriedades:

  • Antissético,
  • Eupéptico;
  • Diurético;
  • Atividade venotónica;
  • Antidiarreico e protetor da mucosa gastrointestinal.

O suco é útil em:

  • Gripes;
  • Convalescença;
  • Falta de apetite;
  • Prevenção do escorbuto.

 



LINHO

A sua designação em Latim é Linum usitatissimum. Planta anual, nativa das zonas temperadas da Europa e Ásia, é cultivada em todo o globo.Pertence à família das Lináceas, sendo utilizadasas sementes inteiras ou reduzidas a pó (linhaça) e o óleo das sementes. Estas possuem os seguintes constituintes: mucilagens constituídas por radicais de ácido galacturónico e oses, óleo fixo onde predominam os ésteres de ácidos gordos insaturados como o oleico, ácidos ómega 6 /linoleico e gama-linolénico)e ómega 3 (alfa-linolénio). Proteínas, fibra, vestígios de heterósidos, cianogenéticos e fitosteróis.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na obstipação crónica;
  • Para cólons alterados pelo abuso de laxativos;
  • Cólon irritável e diverticulites;
  • Nas gastrites e enterites;
  • Coadjuvante no tratamento da obesidade;
  • Na hipercolesterolémia;
  • Emoliente.​

 



LÍQUEN DA ISLÂNDIA

O Líquen da Islândia, Cetraria islandica (Musgo da Islândia), tem sido usado à séculos na medicina popular em muitos países, contra uma série de condições, incluindo condições inflamatórias. Os ácidos liquénicos exercem uma ação bacteriostática e antifúngica. As glicosanas e as mucilagens têm uma ação emoliente e expetorante.

 


 

LÚCIA LIMA 

A sua designação em Latim é Lippia citriodora. Também é utilizada a Lippia triphyla. Arbusto originário da Argentina, Peru e Chile, é espontâneo na América do Norte e cultivado na Europa Meridional. Pertence à família das Verbenáceas, sendo utliizadas as folhas. Estas são constituídas por óleo essencial, furanocumarinas, flavonóides, iridóides e taninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Espasmolítica;
  • Antissética;
  • Estimula a digestão;
  • Carminativa;
  • Calmante suave.

 



LUCUMA

Originária da região dos Andes, esta fruta de sabor abaunilhado apresenta uma grande concentração de vitamina C, compostos fenólicos e carotenóides. 

 


 

LÚPULO

A sua designação em Latim é Humulus lupulus. Planta trepadeira vivaz, frequente nas regiões temperadas e húmidas da Europa, Ásia e América do Norte, cresce em sebes e terrenos incultos, muito cultivada para aromatização da cerveja.Pertence à família das Canabáceas.

Utilizam-se as influrescências femininas (cone e estróbio) e o lupulino recente (glãndulas das brácteas, obtidas por tamização). Estes são constituídos por acilfloroglucinóis existentes na resina, alfa-humulona, beta-humulona e lupulona (compostos amargos), óleo essencial, mono e sesquiterpenos, compostos de ação antiandrógena, taninos e flavonóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na ansiedade;
  • Na insónia;
  • Na falta de apetite;
  • Na anorexia;
  • Nas enxaquecas;
  • Nas nevralgias;
  • Nos transtornos associados ao climatério;
  • Externamente, em inflamações cutâneas.

 



M

 

MACA

A maca (Lepidium meyenii) é uma raiz cultivada nos Andes Peruanos centrais que pertence à família brássica. 

É caracterizada pelos seus vários metabolitos secundários. A macaena e macamidas são os metabolitos principais, além de conter também campesterol e ß-sitosterol, os fitosteróis, macaridina, lepilidinas e uma variedade de glucosinolatos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Afrodisíaco;
  • Efeito fertilizante;
  • Revitalizante em estados de desnutrição;
  • Convalescença;
  • Cansaço e debilidade física e mental;
  • Amenorreia secundária.

 



MAÇÃ REINETA

A Macieira (árvore) tem nome científico de Pyrus malus L. e pertence à família Rosaceae. É uma árvore de pequeno porte, com galhos pendentes e que pode atingir até 9 metros de altura. O fruto, a maça Reineta (Malus domestica), é uma maçã de epiderme castanho-avermelhada e rugosa. A polpa é de coloração amarela e de sabor doce. Entre os principais nutrientes destacam-se a fibra, o potássio, o ferro, os hidratos de carbono e vitamina C.

 


 

MACELA

A sua designação em Latim é Anthemis nobilis. Planta herbácea perene da Europa e regiões temperadas, cresce em terrenos férteis, leves e de boa exposição ao sol. Pertence à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizados os capítulos florais. Estes são constituídos por óleo essencial, lactonas sesquiterpénicas, ácidos cafeico e ferúlico, cumarinas, resinas, óleo gordo e taninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas doenças inflamatórias do trato digestivo com espasmos;
  • Facilita a digestão;
  • Apeririva e carminativa;
  • Emenagoga;
  • Diurética e diaforética;
  • Febrífuga;
  • Externamente, em processos inflamatórios das mucosas cutâneas e da orofaringe.

 



MAITAKE

O Maitake (Grifolia frondosa) é um cogumelo cujo interesse terapêutico está no seu corpo frutífero e micélio e na sua composição em polissacáridos, nomeadamente os beta-glucanos hidrossolúveis de alto peso molecular. O interesse dos beta-glucanos destaca-se pelas propriedades imunoestimulantes e coadjuvantes em processos oncológicos. pensa-se que o beta-glucano aumenta a atividade dos linfócitos NK (natural killer) e linfócitos T, o que promove a produção de IL-1, IL-12 e IL-18 (a partir dos macrófagos) e IFN-y, a partir dos esplenócitos. Também foram observados umentos na concentração de linfócitos CD3, CD19, CD4 e CD8.

Portanto, a administração de extratos de maitake tem demonstrado ser eficaz enquanto elemento de reforço dos sistemas de defesa do organismo e com capacidade de aumento da capacidade de aumento de resposta imunocelular em doentes oncológicos.

 


 

MALVAS

A sua composição em Latim é Malva sylvestris. Planta bienal, originária da Europa e Ásia. Encontra-se com facilidade em caminhos, lixeiras, solos ricos em azoto no Continente e Madeira. pertence à família das Malváceas, sendo utilizadas as folhas e as flores. Estes são constituídas por mucilagens, antocianósidos, taninos, flavonóides sulfatados, ácidos fenólicos e sais minerais.

Apresentam as seguintes propriedades:

  • Útil nas obstipações e diarreias;
  • Emoliente e anti-inflamatório;
  • Nas irritações da mucosa orofaríngea associadas a tosse seca e irritativa;
  • Nas gastrites e úlceras;
  • Externamente, nas inflamações da pele e mucosas.

 



MANGA AFRICANA

A sua designação em Latim é Irvingia gabonensis. Vulgarmente conhecida como "manga africana", é uma árvore que atinge geralmente a maturidade e começa a floração com 10 a 15 anos. Possui grandes folhas verdes com sementes comestíveis e polpa da fruta doce igualmente comestível, cujo habitat se estende por toda a planície de África.

É uma planta largamente utilizada na medicina tradicional e moderna para o tratamento de várias doenças. Este extrato tem uma origem única que engloba um conjunto de 15 subespécies, o que o torna um ingrediente natural e seguro. Este extrato foi testado em ensaios clínicos e provou ter resultados com sucesso nos indivíduos obesos e com excesso de peso, ajudando a diminuir o perímetro das ancas e do pulso. A sua contribuição passa também pela diminuição do IMC e do colesterol LDL, sendo também capaz de aumentar os níveis de adiponectina. Estudos demonstraram que este extrato está associado à inibição da expressão da proteína PPARy, que é responável por uma cascata de reações associadas à adipogénese.

 


 

MANGOSTÃO

A sua designação em Latim é Garcinia mangostana. A árvore é originária do sudoeste asiático, sendo muito popular nessa zona devido ao consumo do seu fruto, também conhecido por "Rainha das Frutas". O consumo do fruto disseminou-se um pouco por todo o mundo uma vez que é especialmente rico em xantonas, minerais, enzimas, vitaminas, antioxidantes, fitonutrientes e bioflavonóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Reforça a vitalidade;
  • Favorece o metabolismo;
  • Ação antioxidante.

 



MEDRONHEIRO

A sua designação em Latim é Arbustus unedo. O medronheiro é um arbusto ou pequena árvore de folha persistente (existem folhas na sua copa durante todo o ano). Esta árvore pode atingir os 8 a 10 m de altura. Desenvolve-se nos bosques, no mato e nas regiões rochosas, principalmente em solos ácidos, da Península Ibérica à Turquia. Os frutos (bagas vermelhas comestíveis) são utilizados para fazer licores, aguardentes e conservas. Pertence à família das Ericácias, sendo utilizado todo o arbusto ou só as folhas.

Estes são constituídos por glúcidos, ácidos orgânicos, vitaminas, proteínas, fenóis, taninos e antocianinas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Diurético;
  • Antissético urinário;
  • Adstringente;
  • Antidiarreico;
  • Na limpeza de sangue;
  • Em doenças neoplásicas;
  • Na sífilis;
  • No combate à arteriosclerose;
  • Em casos de má circulação do sangue.

 



MEL

Entende-se por mel o produto alimentício produzido pelas abelhas melíferas, a partir do néctar das flores ou das secreções procedentes de partes vivas de plantas ou de excreções de insectos sugadores de plantas que ficam sobre partes vivas de plantas, que as abelhas recolhem, transformam, combinam com substâncias específicas próprias, armazenam e deixam maturar nos favos da colmeia.

Seu aroma, paladar, coloração, viscosidade e propriedades medicinais estão directamente relacionados com a fonte de néctar que o originou e também com a espécie de abelha que o produziu.

Pode ser utilizado como alimento, adoçante e como suplemento.

 


 

MELÃO

O melão (Cucumis melo) é uma fruta nativa do Oriente Médio. Contém quantidades razoáveis de Cálcio, Fósforo e Ferro, Vitamina A, Vitaminas do Complexo B e Vitamina C. Contém pectina e fibras solúveis, além do alto teor em bioflavonóides.

 


 

MELISSA

A sua designação em Latim é Melissa officinalis L. É uma planta herbácea vivaz, das regiões meridionais da Europa, Ásia e Norte de África. Também cultivada em lugares húmidos e sombrios em diversas zonas temperadas e quentes. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), utilizando-se as folhas, partes aéreas e o óleo essencial. 

É constituída por flavonóides, ácidos e ésteres fenólicos, óleo essencial, aldeídos monoterpénicos e outros monoterpoenos, sesuiterpenos e mucilagens poliurónicas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Sedativo;
  • Útil em situações de nervosismo, insónias e palpitações nervosas;
  • Carminativo;
  • Útil na falta de apetite, gastrites e flatulência;
  • Externamente, em afeções cutâneas, equimoses e após picadas de insetos.

 



MIRTILO AMERICANO 

A sua designação em Latim é Vaccinium corymbosum. Planta nativa da América do norte, pertence à família Ericacea. O Mirtilo, mais conhecido por Blueberry consiste numa baga de cor azul-ceroso. É um fruto conhecido pela sua fonte em flavonóides, especialmente antocianinas, que lhe dão a típica cor azulada, vitamina C, fibra solúvel e insolúvel, como a pectina. Também muito ricos em taninos, vitamina E, magnésio e riboflavina. Os benefícios dos mirtilos advêm principalmente dos seus pigmentos antociânicos que têm um poder antioxidante muito elevado.

 


 

MONASCUS PURPUREUS (LEVEDURA DE CERVEJA)

O arroz vermelho fermentado é o produto fermentado do arroz no qual a levedura vermelha (M. purpureus) cresceu. O Monascus purpureus (MP) é um fungo tradicionalmente usado na China para produzir vinho de arroz.

Monascus purpureus é usado na China no tratamento de distúrbios dos lípidos. Nos países ocidentais, o seu uso é limitado à pigmentação de carne, peixe, queijos, bebidas alcoólicas e carnes curadas.

A eficácia hipercolesterolémica do Monascus purpureus foi avaliada através de ensaios experimentais e clínicos. devido a atuar por inibição indireta da 3-hidroxi3-metilglutaril coenzima A (HMG-CoA) redutase, o Monascus purpureus tem um efeiito semelhante às Estatinas.

O arroz vermelho fermentado tem sido indicado como alimento funcional devido a ter na sua composição monacolinas (agentes redutoras de lípidos), GABA (agente hipotensivo), ácido dimerúmico, e dihidromonacolina-MV (antioxidante). Estes metabolitos secundários têm sido identificados como tendo atividades anti-inflamatórias ou antioxidantes.

 


 

MORINGA

A Moringa oleífera (Moringaceae) é uma planta nativa da zona dos Himalaias na India, Paquistão, Bangladesh e Afeganistão, considerada um milagre da natureza.

A riqueza da sua composição confere propriedades que se sentem em vários níveis:

  • Normal funcionamento do sistema imunitário;
  • Uma normal função psicológica; 
  • Redução do cansaço e da fadiga;
  • Manutenção de mucosas normais;
  • Manutenção de uma pele normal;
  • Normal metabolismo produtor de energia e para o normal funcionamento do sistema nervoso;
  • Processo de divisão celular;
  • Normal metabolismo dos macronutrientes;
  • Proteção das células contra oxidações indesejáveis;
  • Normal funcionamento do coração;
  • Regulação da atividade formonal;
  • Manutenção de níveis normais de glicose no sangue;
  • Normal formação de colagénio para funcionamento normal dos vasos sanguíneos, ossos, cartilagens, pele, gengivas e dentes;
  • Regeneração da forma reduzida da vitamina E;
  • Aumento da absorção do ferro.
  • Normal funcionamento ácido-base, para normal metabolismo dos hidratos de carbono, para uma normal função cognitiva, para a síntese normal do ADN, para uma fertilidade e reprodução normais, para o normal metabolismo dos ácidos gordos, para a síntese normal das proteínas e para manutenção de ossos normais.

 



O

 

OLIVEIRA

A sua designação em Latim é Olea europaea. Pertence à família das Oleáceas. É uma árvore da região mediterrânica, cultivada em países desta zona, incluindo o nosso. Este cultivo resulta do interesse económico do azeite. para além do azeite (óleo do fruto), utilizam-se também as suas folhas. As folhas contêm: iridóides, derivados da colina, flavonóides, constituinte amargo, derivados triterpénicos, saponósidos, ácidos fenólicos, sais minerais, manitol, taninos e ceras. O óleo do fruto (azeite) contém ésteres glicéridos (dos ácidos oleico, linoleico, palmítico e esteárico), fitoesteróis e vitaminas A e E.

Assim, as folhas apresentam as seguintes proriedades:

  • Na hipertensão moderada;
  • Ação hipotensora, graças ao efeito vasodilatador periférico;
  • Na prevenção da arteriosclerose;
  • Espasmolítico e antirrítmico;
  • Ação diurética;
  • Prevenção do reumatismo.

O óleo dos frutos (azeite) apresenta as seguintes propriedades:

  • Na disquinésia hepatobiliar;
  • Na obstipação;
  • Colagogo;
  • Lubrificante e anti-inflamatório intestinal;
  • Topicamente, em afeções cutâneas, queimaduras solares e queimaduras do primeiro grau.

 



ONAGRA

A sua designação em Latim é Oenothera biennis. Planta herbácea anual, originária da América do Norte cresce hoje em muitas regiões temperadas do globo. Subespontânea em várias zonas do Continente. Pertence à família Onagráceas, sendo utilizado o óleo das suas sementes. Este é constituído por óleo com ésteres glicéricos de ácidos gordos (oleico, linoleico, y-linolénico (GLA), palmítico, esteárico), fitosteróis e carotenóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Reduz os transtornos frequentes no designado síndroma pré-menstrual (afrontamentos, irritabilidade, tensão mamária,etc...);
  • Ajuda a regular a taxa de colesterol;
  • Ajuda a regular a tensão arterial;
  • Antiagregante plaquetar;
  • Prevenção da arteriosclerose e do tromboembolismo;
  • Tem um efeito antioxidante, inibindo específicamente a oxidação do colesterol;
  • útil na osteoporose e no reumatismo;
  • Tem um papel importante nos processos anti-inflamatórios;
  • Ação benéfica a nível da pele, sobretudo quando esta está seca ou apresenta feridas;
  • Eczema atópico e neurodermatites.

 



ORÉGÃOS

A sua designação em Latim é Origanum vulgare. Planta vivaz herbácea, nativa da Europa e subespontânea no Médio Oriente, prefere solos pedregosos em zonas de montanha. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), sendo utilizada a parte aérea florida e o óleo essencial.

É constituída de óleo essencial, flavonóides, ácidos fenólicos e seus ésteres, taninos, constituintes amargos e triterpenos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na tosse e na bronquite;
  • Na falta da apetite;
  • Nas dispepsias, flatulência e cólicas intestinais;
  • Nas disquinésias hepatobiliares e colecistites;
  • Externamente, nas inflamações orofaríngeas e no reumatismo (óleo essencial diluído).

 



ORTHOSIPHON

A sua designação em Latim é Orthosiphon stamineus. Arbusto que pode atingir 1,5 m de altura, nativo da Ásia tropical e Austrália, muito cultivado na Indonésia. Também é conhecido como Chá de Java. Pertence à família das lamiáceas (Labiadas), sendo utilizadas as folhas e as extremidades secas dos caules secos. É constituído por sais de potássio, vestígios de óleo essencial rico em sesquiterpenos, flavonas lipofílicas (sinensetina, euparorina, escutelareína, salvigenina), heterósidos flavónicos, ácidos orgânicos (rosmarínico, cafeico, ursólico, glicólico e benzóico), teninos e saponinas triterpénicas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação diurética;
  • Evita a retenção de líquidos;
  • Ação colagoga;
  • Favorece a eliminação de cálculos renais e biliares;
  • Na hiperuricemia;
  • Em diversas afeções urinárias;
  • Na hipertensão;
  • Útil em dietas de emagrecimento.

 



P

 

PALMA

A sua designação em Latim é Borassus flabellifer. Árvore originária das regiões tropicais do Sul da Ásia, principalmente na Indochina. As hastes das suas folhas são cortadas, exsudando a seiva que é armazenada em tubos de bambu. Pertence à família das Arecáceas.

O açúcar de Palma é, nos seus países de origem, preferido em relação ao açúcar refinado, uma vez que possui um sabor mais agradável, sendo rico em sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Substituto do açúcar;
  • Desintoxicador e depurador;
  • Redutor do excesso de peso.

 



PAPAIA

O látex da papaia (Carica papaya) , obtido por incisão dos frutos verdes, tem na sua composição papaína, constituída por uma mistura de papaína, quimopapaína e papaiaproteinase ómega.

A papaína é utilizada para fins terapêuticos por facilitar a digestão de proteínas, sendo por isso útil enquanto enzima de substituição em casos de insuficiência gástrica ou duodenal e para o tratamento da dispepsia.

 


 

PAPOILA VERMELHA

A sua designação em Latim é Papaver rhoeas. Planta herbácea anual, originária do Mediterrâneo Oriental, julgando-se ter sido introduzida na Europa e outras regiões do globo com cultura dos cereais. Pertence à família das Papaveráceas, sendo utilizadas as pétalas das flores.

É constituída por alcalóides isoquinoleicos, mucilagens, pigmentos antociânicos e taninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Útil em inflamações das mucosas brônquicas (tosse);
  • Emoliente;
  • Sedativo, na ansiedade e nas perturbações do sono;
  • Nos espasmos nervosos.

 



PASSIFLORA

A sua designação em Latim é Passiflora incarnata L. É uma trepadeira arbustiva, espontânea na América tropical, desde o Sul dos Estados Unidos da América e México até ao Brasil, hoje cultivada na região mediterrânica, nos Estados Unidos da América e Índia. Pertence à família das Passifloráceas, sendo utilizadas as partes aéreas.

Estas são constituídas por flavonóides (C-heterósidos de flavonas; chaftósido, isochaftósido, isovitexina, orientina, vitexina), fitosteróis, derivados da cumarina, pequena quantidade de óleo essencial, glúcidos diversos, glicoproteínas e aminoácidos livres.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ansiolítica/sedativa;
  • Na insónia;
  • Na irritabilidade, taquicardia e transtornos nervosos;
  • manifestações psicossomáticas (dispepsia nervosa, cólicas intestinais, entre outras);
  • Antiespasmódica;
  • Dores de cabeça, enxaquecas e dores musculares.

 



PATA DE VACA

A sua designação em Latim é Bauhnia fortificata. Pertence à família das Fabáceas (Leguminosas), sendo utilizada a folhas. É constituída por flavonóides (capferol, rutina e quercetina), ácidos orgânicos, glicosídeos, heterosídeos cianogénicos e saponínicos, goma, mucilagem, tanino e minerais.

Apresenta propriedades diuréticas, hipoglicemiante, purgativa, diurética, antidiarreica, depurativa e tónica renal.

 


 

PAU D'ARCO

A sua designação em Latim é Tabebuia impetiginosa. Árvore da América tropical, desde o México até à Arfentina. No Brasil encontra-se em maior distribuição. Dá-se bem em terrenos montanhosos. hoje é cultivada. Também conhecida por Ipê Roxo. Pertence à família das Bignoniáceas, sendo utilizada a casca.

Esta é constituída por derivados naftoquinónicos (lapachol, L-menaquinona, a-lapachona e ß-lapachona), flavonóides (derivados da quercetina), óleo essencial, resinas, constituintes amargos (tecomina), sais minerais, alcalóides, antraquinonas, saponinas e derivados do ácido benzóico.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Anti-infecioso;
  • Bacteriostático;
  • Antimicrobiano;
  • Antiparasitário e antiviral;
  • Antitumoral;
  • Antioxidante e diurético;
  • Reforça o sistema imunitário.

 



PAU DE CABINDA

A sua designação em Latim é Pausinystalia yohimbe. É uma árvore originária da África, de folhas perenes. pertence à família das Rubiáceas, sendo utilizada a casca. esta é constituída por yohimbine (ioimbina), ioimbilina e aimalina.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Utilizado por homens e mulheres adultos como afrodisíaco;
  • Tónico genésico;
  • Estimula também a atividade física e mental;
  • Na impotência e frigidez.

 



PERILLA

Perilla frutescens é um membro da família Lamiaceae/ Labiatae.

Perilla tem sido usada desde a antiguidade pelos povos asiáticos.

O óleo de Perilla (sementes e folhas) é uma fonte de ácidos gordos ómega-3, e demonstra ser uma das melhores fontes devido á relação em termos de teor de ómega-3 em relação ao teor de ómega-6 e pelo seu teor em ácido rosmarínico.

A Perilla frutescens tem sido utilizada na medicina tradicional para doenças respiratórias, devido ás suas atividades antibacterianas, antialérgicas e anti-inflamatória.

 


 

PERVINCA

A sua designação em Latim é Vinca minor. Planta herbácea perene, comum na Europa, exceto região mediterrânica e zonas árticas, em sebes e locais sombreados e húmidos. pertence à família das Apocináceas, sendo utilizada as folhas. É constituída por alcalóides idólicos (vincamina, apo-vincamina, vincina, vincadiformina), flavonóides e ácidos orgânicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação simpaticolítica;
  • Antiespasmódica;
  • Hipotensora;
  • Vasodilatadora cerebral e coronária;
  • Útil em problemas circulatórios;
  • Em caso de vertigens;
  • Nas enxaquecas e perda de memória.

 



PHYLLANTUS

As partes aéreas do Phyllantus (Phyllantus amarus) têm sido amplamente usadas na medicina tradicional do Brasil para tratamento da vários tipos de doenças, como distúrbios  na bexiga e rins, infeções intestinais, diabetes e infeções pelo vírus da hepatite B.

Na sua composição estão incluídos os compostos benzenóides, como o ácido gálico, corilagina, ácido 4-O-galoilquírico os flavonóides, como o galocatequina, rutina, quercetina-3-O-glucopiranósido, e taninos, como a filantusina, geranina, amarina, furosina, ácido geraninico, ácido amarinico, elaeocarpusina.

A geranina e marina do Phyllantus (quebra-pedra) apresentam atividade protetora contra os danos oxidativos induzidos pelo etanol nas células hepáticas. Estas reduzem o stress oxidativo induzido pelas substâncias hepatotóxicas, inibindo os danos nas biomoléculas e dificultando as vias apoptóticas.

 


 

PILOSELA

A sua designação em Latim é Hieracium pilosella. Planta nativa da Europa e Norte de África. pequena erva com roseta de folhas ovais muito aveludadas. As folhas de Pilosela formam bonitas rosáceas à superfície do solo. Pertence à família das Asteráceas, utilizando-se a planta inteira ou só as folhas. Rica em flavonóides e taninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Diurética;
  • Elimina o excesso de água do organismo;
  • Útil em dietas de emagrecimento, em particular quando há retenção de líquidos;
  • Adstringente;
  • Útil na hipertensão arterial.

 



PIMENTA-CAIENA

A pimenta de caiena possui vários nomes vulgares como malagueta, pimentão, cápsico.

É uma planta vivaz, originária das regiões da América tropical, introduzida e cultivada em diversas regiões quentes do mundo.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Redução do apetite;
  • Aumanta a termogénese;
  • Carminativo;
  • Digestivo.

 



PIMENTA NEGRA

A pimenta negra é uma especiaria comum e uma planta usada historicamente para várias doenças relacionadas com os transtornos gastrointestinais e disfunção dental ou oral.

O seu composto mais ativo é a piperina. Este composto, tem demonstrado em estudos em animais, atividade antidiabética e antiobesidade.

 


 

PINHEIRO MARÍTIMO

Pinus pinaster é uma árvore característica do Mediterrâneo Ocidental. Possui fortes propriedades antioxidantes. para além desta propriedade, muitos estudos demonstram as sua propriedades anti-inflamatórias, antimicrobianas e vasodilatadoras, tornando-o uma potencial ferramenta terapêutica para o tratamento de uma grande variedade de condições caracterizadas por uma situação de stress oxidativo.

 


 

PINHEIRO

A sua designação em Latim é Pinus sylvestris. É uma árvore que pode atingir até os 45 metros, embora o tamanho médio de uma árvore desenvolvida se situe nos 25-30 metros. Trata-se de uma espécie muito difundida na Europa, particularmente no Centro e Sul. Pertence à família das Pináceas, sendo utilizada a gema e agulhas, cascas e óleo essencial. As gemas e agulhas são constituídas por resina, essência à base de pineno, flavonóides, taninos, antocianina e composto amargo. As cascas são constituídas por óleo essencial, antocianinas, celulose, hemicelulose e taninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Calmante e antissética das vias respiratórias;
  • Ação balsâmica;
  • Nas afeções do aparelho respiratório;
  • Na tosse com expetoração;
  • Na rouquidão;
  • Externamente, na tosse e bronquites, no reumatismo e nas nevralgias.

 



POEJO

A sua designação em Latim é Mentha pulegium. Planta herbácea vivaz, nativa da Europa e Ásia Ocidental, tendo-se naturalizado no Continente americano. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), sendo utilizadas as partes aéreas floridas e o óleo essencial.

As partes aéreas floridas são constituídas de óleo essencial, substãncias amargas, taninos, ácidos fenólicos e flavonóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na falta de apetite e digestões difíceis;
  • Nas cólicas gastrointestinais;
  • Na coriza e resfriados;
  • Externamente, em infeções cutâneas.

 



PRÓPOLIS

O termo Própolis, de origem grega, conjuga o prefixo "pro" (para, a favor de) com "polis" (cidade, colmeia) e define a substância usada como matéria-prima na construção das colmeias (cidades das abelhas). A Própolis é elaborada pelas abelhas a partir de resinas recolhidas à superfície de diversas espécies vegetais, sendo rica em componentes voláteis que lhe conferem um odor balsâmico.

O própolis é um produto natural, colhido pelas abelhas Apis melifura, a partir de várias fontes vegetais. O própolis é muito utilizado devido a melhorar a saúde humana. o própolis apresenta um largo espetro de propriedades biológicas e farmacológicas como antimicrobianas, antioxidantes, anti-inflamatórias, imunomoduladoras, anti-tumorais, anti-cancerígenas, anti-úlcera, hepatoprotetora, cardioprotetora e neuroprotetora.

 


 

Q

 

QUEBRA-PEDRA

A sua designação em Latim é Phyllantus niruri ou Phyllantus urinaria. Arbusto que pode atingir 4 metros, nativo das regiões tropicais da América central e do Sul, mas que se adapta a climas temperados. Pertence à família das Euforbiáceas, sendo utilizada a parte aérea, por vezes a planta ou só raízes.

Estes são constituídos por linhanos, flavonóides, alcalóides indólicos, triterpenos, alcanos, vitamina C, óleo essencial (salicilato de metilo) e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na lítiase renal;
  • Diurético;
  • Nas doenças do fígado;
  • Nas infeções da boca, garganta e urogenitais;
  • No reumatismo;
  • Na hiperuricémia e na gota.

 



QUINA VERMELHA

A sua designação em Latim é Chichona pubescens ou Chichona succirubra. É uma árvore indígena da cordilheira dos Andes. Atualmente de cultura no Sudoeste da Ásia, América do Sul e África Meridional. Pertence à Família das Rubiáceas. Utilizam-se as cascas.

Possui constituintes alcalóides (quinina, quinidina, cinchonina e cinchonidina), constituintes amargos, taninos solúveis e vestígios de óleo essencial.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação colagoga e febrífuga;
  • Antipalúdica;
  • Tónico cardíaco.

 



R

 

RÁBANO NEGRO

A sua designação em Latim é Raphanus sativus L. var. Niger. É uma planta anual muito cultivada em Portugal. Pertence à família das Brassicáceas, sendo utilizada a raiz. 

Esta é constituída por heterósidos sulforados, óleo essencial, glícidos, aminoácidos, antocianósidos e vitaminas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Beneficia a digestão;
  • Favorece a secreção biliar;
  • Atividade colerética, colagoga e hepática;
  • Favorece a eliminação de gases;
  • Na perda de apetite;
  • Aumenta o peristaltismo intestinal;
  • Ação diurética, sendo útil em caso de pedras;
  • Nas afeções brônquicas. 

 



RAINHA DOS PRADOS

A sua designação em Latim é Filipendula ulmaria. Planta herbácea vivaz da Europa, presente também na América do Norte. Cresce em locais sombrios e húmidos. pertence à família das Rosáceas. utilizam-se as partes aéreas floridas.

Estas são constituídas por compostos flavónicos (espireósido e rutina), óleo essencial (com aldeído salicílico, salicilato de metilo, álcool feniletílico e álcool benzílico), glicósidos fenólicos e elagitaninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação antipirética;
  • Ação analgésica;
  • No reumatismo, gota e edemas;
  • Nas inflamações articulares e geniturinárias;
  • Antiagregante plaquetar;
  • Diurético e sudorífero;
  • Adstringente;
  • Em afeções gripais e bronquite.

 



REISHI

O Reishi (Ganoderma lucidum) é um cogumelo com longo historial de uso tradicional no tratamento do cancro e está relacionado com muitos casos de remissão espontânea. Além dos efeitos imunomoduladores do seu conteúdo em polissacáridos, os triterpenos mostram uma atividade citotóxica significativa contra diferentes linhas celulares cancerídenas.

Este cogumelo contém uma grande variedade de moléculas biostivas, incluindo fenóis, esterois, aminoácidos, linhinos, micinas, vitaminas, nucleósidos e nucleótidos, mas são os polissacáridos e os triterpenos que são os dois principais grupos de componentes.

 


 

RODIOLA

A sua designação em Latim é Rhodiola rosea. Planta que prefere terrenos secos e arenosos, nativa do Ártico, Rússia, Alpes Europeus e da Ásia. Pertence à família das Crussuláceas, sendo utilizada a raíz e, por vezes, a parte aérea da planta. Esta é constituída por salidrozido, rosavina e polifenóis.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Adaptogénica; 
  • Possui propriedades estimulantes;
  • Estimulante sexual;
  • Antioxidante;
  • Benéfica para o sistema imunitário.

 



ROMÃ

A sua designação em Latim Punica granatum. É uma árvore nativa do Sudoeste da Ásia e América do Sul. Muito cultivada em Portugal. Pertence à Família das Punicáceas. utiliza-se a casca da raiz e do fruto e, algumas vezes do tronco. A casca da raiz e do tronco é constituída principalmente por taninos (galhotaninos), alcalóides, proantocianinas e sais minerais. A casca dos frutos contém menor teor em taninos, alcalóides e de antocianinas.

Apresenta as seguintes propriedades:

Casca da raiz e do tronco: ação anti-hemíntica e na amibíase intestinal;
Casca dos frutos: benéfica na diarreica e, em uso tópico nas ulcerações orofaríngeas e inflamações da orofarínge.

 



ROOIBOS

A sua designação em Latim é Aspalathus linearis. Planta endémica das regiões montanhosas da África do Sul e cultivada exclusivamente numa pequena região (Cedar Valley) próxima da cidade de Cedarberg. É um arbusto adaptado a solos pobres e a climas quentes e secos. Pode atingir de 1 a 12 metros de altura e tem ramos longos, dos quais partem vários raminhos com pequenas folhas, que lhe conferem o aspeto arbustivo. As folhas lembrem as agulhas de um pinheiro e as flores amarelas assemelham-se às da giesta. Pertence à família das Leguminosas, sendo utilizada as folhas e o caule.

É constituída por flavonóides, sais minerais e vitamina C.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antixiodante;
  • Reforça as defesas naturais;
  • Benefecia a digestão;
  • Útil nas cólicas;
  • Externamente, nas afeções cutâneas.

 



ROSA CANINA 

A sua designação em Latim Rosa canina. Arbusto vivaz, nativo da Europa e regiões temperadas da Ásia e África do Norte, cresce em sebes, bosques e terrenos incultos. pertence à família das Rosáceas, sendo utilizados os cinórrodos (pesudofrutos) privados de aquénios e secos.

São constituídos de vitamina C, vitamina do complexo B, taninos, ácidos orgânicos, pectinas, vestígios de flavonóides, procianidóis e frutose.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Vitamínica;
  • Coadjuvante nas gripes e constipações;
  • Coadjuvante em doenças infeciosas;
  • No tratamento da debilidade física e na convalescença;
  • Adstrindente;
  • Venotónica e protetor capilar;
  • Diurética e laxante.

 



RUIBARDO

​​A sua designação em Latim é Rheum officinale. Arbusto vivaz originário do Nordeste da China e das regiões montanhosas do Tibete Oriental, pertence à família das Pligonáceas, sendo utilizado o rizoma. Este é constituído por derivados hidroxiantracénicos (expressos em reína), taninos gálhicos, flavonóides, oxalato de cálcio e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Na obstipação funcional;
  • Estimula o apetite;
  • Limpeza intestinal;
  • Nas fissuras anais e hemorróidas;
  • Externamente, em casos de queimaduras.

 



RUSCUS

A sua designação em Latim é Ruscus aculeatus. Arbusto vivaz, comum na zona Atlântica até à Europa Central e Meridional, igualmente presente no Sudoeste da Ásia e no Norte de África. Crece em terrenos arborizados e terrenos incultos de preferência calcáreos. Pertence à família das Liliáceas, sendo utilizados os rizomas e as raízes. Os principis constituintes são os saponósidos (em particular a ruscogenina), flavonóides, sais de potássio e óleo essencial.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas insuficiências crónicas venosas, com dor, peso, prurido e edema nas pernas;
  • No tratamento das hemorróidas;
  • Nas afeções urinárias, por aumentar a diurese;
  • Nas inflamações pélvicas.

 



S

 

SABUGUEIRO

A sua designação em Latim é Sambucus nigra. Arbusto nativo da Europa, Ásia Ocidental e Central, Norte de África, cresce em bosques e terrenos incultos. Encontra-se em sebes, margens dos campos e dos cursos de água. Pertence à família das Caprifoláceas, sendo utilizada as flores, algumas vezes os frutos, folhas e cascas. É constituída por flavonóides (isoquercetina, quercetina e seus heterósidos, rutina e hiperósido), ácidos fenólicos, mucilagens, antocianinas, ácidos triterpénicos, fitosteróis e sais potássicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas gripes;
  • Nas inflamações das vias respiratórias(tosse e bronquite);
  • Hemorroidal e fragilidade capilar.

​A casca apresenta as seguintes propriedades:

  • Na oligúria;
  • Na litíase renal;
  • Diurética;
  • Adastringente;
  • Cicatrizante;

​Os frutos apresentam as seguintes propriedades:

  • Diurético;
  • Diaforético;
  • Laxantes;
  • Externamente, no edema e na inflamação reumatismal.

 



SALACIA

A Salacia reticulata é muito utilizada na medicina Ayurvédica devido à sua atividade antidiabética e de inibição da absorção de hidratos de carbono a partir do intestino.

A Salacia reticulata parece ter a capacidade de inibir as enzimas lipase e pode reduzir a velocidade de absorção de lípidos após uma refeição.

 


 

SALGUEIRO BRANCO

A sua designação em Latim é Salix alba. Árvore originária da Europa encontra-se no Norte de África e Ásia junto aos cursos de água e zonas húmidas. Pertence à família das Salicáceas. Utiliza-se as cascas e muito raramente as folhas (por serem mais pobres em salicina). 

É constituída por glicósidos e ésteres salicílicos (salicina, salicortina, outros), taninos catéquicos, heterósidos de fenóis, ácidos fenólicos e flavonóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Analgésico;
  • Antipirético;
  • Anti-inflamatório;
  • Nas doenças reumatismais;
  • Nas cefaleias;
  • Útil em casos de gripes;
  • Ação adstringente.
  • Na falta de apetite;
  • Em dispepsias;
  • Colerético e antiespasmódico;
  • Na menopausa, dimenorreias, amenorreia e climatério;
  • Externamente, em inflamações das mucosas, adstringente e antimicrobiano.

 



SALSAPARRILHA

A sua designação em Latim é Smilax aspersa. Trepadora lenhosa, que pode atingir 40 metros de altura, da América tropical. Existe também nas regiões mediterrânicas. Pertence à família das Liliáceas, sendo utilizada a raiz.

É constituída por saponósidos eseróides, óleo essencial, amido, colina, sais minerais, taninos e fitosteróis.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Diurética;
  • Na afeções urinárias;
  • nas inflamações das vias respiratórias;
  • Em doenças da pele (como depurativa).

 



SALVA 

A sua designação em Latim é Salvia officinalis. Arbsuto vivaz, originário da região mediterrânica oriental, é cultivado em todo o globo em terrenos de clima temperado e com muita luz, de preferência calcários. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), sendo utilizadas as folhas, partes aéreas floridas e óleo essencial.

É constituída por óleo essencial e sesquiterpenos, isoflavonas, flavonóides, constituintes amargos, diterpenóides, triterpenóides, ácidos fenólicos e taninos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antimicrobiano e anti-sudorífero;
  • Na diaforese (transpiração) excessiva;
  • Na falta de apetite;
  • Em dispepsias;
  • Colerético e antiespasmódico;
  • Na menopausa, dismenorreia, amenorreia e climatério;
  • Externamente, em inflamações das mucosas, adstringente e antimicrobiano.​

 


 

SARGACINHA

A sua designação em Latim é Lithospermum diffusum. Planta espontânea na Europa, em solos calcários. Planta vivaz, podendo alcançar 40 a 80 cm, de caule ereto, robusto, coberto de pelos e ramoso. Folhas verde-escuras na página superior, mais claras na inferior. Flores brancas, pequenas em compridos cachos folhosos. Fruto nacarado, duro e de sabor adocicado. Pertence à família das Boragináceas.

Utilizam-se os frutos, as folhas e as sumidades floridas. Estes são constituídos por sais minerais e mucilagem.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Diurética;
  • Dissolvente dos cálculos renais.

 



SAW PALMETTO

A sua designação em Latim é Serenoa repens. Palmeira de 1 a 3 metros com caules bastante prostados. Nativa da América do Norte, encontra-se em dunas ao longo das costas do Atlântico e mar das Caraíbas, da Carolina do Sul ao Texas, cresce também em países mediterrânicos. Pertence à família das Palmáceas, sendo utilizado o fruto. 

Este é constituído por óleo fixo, fitosteróis (estigmasterol, beta-sitosterol, campestrol), óleo essencial, enzimas flavonóides, polissacáridos, taninos e resinas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nos problemas urinários
  • Na hiperplasia benigna da próstata tipo I e II;
  • Para atenuar a inflamação nas cistites, nas prostatites e na hipertrofia prostática.

 



SEMPRE NOIVA

A sua designação em Latim é Polygonum aviculare. É uma herbácea anual, encontrando-se nas regiões temperadas de todo o mundo. pertence à família das Pligonáceas, sendo utilizadas as partes aéreas. Estas são constituídas por flavonóides (derivados do campferol, quercetina, avicularina, quercitrina, heperósido, vitexina), heterósidos furanocumarínicos, taninos, ácido salicílico, ácidos aromáticos, polissacáridos mucilaginosos, linhanos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nos catarros ligeiros das vias respiratórias;
  • Nas inflamações das mucosas orofaríngeas;
  • Impede a aglutinação dos eritrócitos;
  • No hemorroidal;
  • Nas diarreias.

 



SENE

A sua designação em Latim é Cassia angustifolia. Subarbusto perene, nativo da Arábia e África Oriental, muito cultivado na Índia. Pertence à família das Cesalpináceas, sendo utilizadas os folíolos (folhas) e os folículos (frutos). Ambos apresentam constituintes antracénicos, mucilagens, flavonóides, resinas, ácidos orgânicos e fitosteróis.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Purgante;
  • Na obstipação funcional transitória;
  • Antes da realização de exames radiológicos ou endoscópicos e intervenções cirúrgicas que exijam um esvaziamento intestinal completo;
  • Colagogo em doses baixas.

​ 


 

SHITAKE

O Shitake (Lentinula edodes), conhecido como shiitake é um ativador da resposta imunitária do hospedeiro.

O (1-3) ß-D-glucano do cogumelo Lentinus edodes tem ação imunoestimulante, aumentando a resistência do hospedeiro contra infeções bacterianas, fúngicas, virais ou parasitárias e leva a um efeito antitumoral.

Em geral, os efeitos imunoestimulantes do (1-3) ß-D-glucano são atribuídos aos macrófagos e células T. Vários estudos relataram alterações na produção de citonas de macrófagos ou monócitos em animais e em humanos, por exemplo, aumento da produção de TNF-a e IL-1 in vivo. (1-3) ß-D-glucano também leva ao aumento da produção de oxido nítrico e a atividade citotóxica dos macrófagos.

 


 

SOJA

A sua designação em Latim é Glycine max ou G. hispida. Planta herbácea anual, originária do Sudoeste  da Ásia, é muito cultivada em climas temperados quentes. Pertence à família das Fabáceas (leguminosas), sendo utilizado e extrato obtido a partir do óleo de sementes (com 73 a 79% de fosfatidilcolina).

Este é constituído por fosfolópidos, glicósidos de isoflavonas, óleo gordo, vitaminas lipossolúveis e proteínas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Reequilíbrio lipídico, sobretudo quando ocorrem taxas elevadas de colesterol e de triglicéridos;
  • Beneficia os níveis de HDL (bom colesterol), baixando os de LDL (mau colesterol);
  • Na prevenção de doenças cardiovasculares.
  • Fornece os fosfolípidos indispensáveis para as células nervosas;
  • Útil em situações de maior stress e fadiga mental;
  • Beneficia o funcionamento da vesícula e do fígado.

As isoflavonas de Soja apresentam as seguintes propriedades:

  • Regulação do metabolismo hormonal, atuando sobre os recetores de estrogénio;
  • Diminuem os afrontamentos;
  • Diminuem a perda de massa óssea decorrente das alterações hormonais características na menopausa (aumentam o número de osteoblastos);
  • Diminuem o nível de colesterol;
  • Melhoram o estado de humor na mulher; 
  • têm um efeito protetor no desenvolvimento de tumores, tendo uma ação antioxidante.

 



SPIRULINA

A sua designação em Latim é Spirulina maxima. Alga azul esverdeada de filamentos microscópicos moveis, multicelulares, espiralados não ramificados. Originária das lamas alcalinas (cerca de pH 11) do lago Texcoco (México), hoje é obtida por cultura. Pertence à família das Ciabofíceas, sendo utilizada a alga inteira. 

Esta é constituída por aminoácidos (as poteínas reperesentam cerca de 60 a 70% do seu peso seco), mucilagens, minerais (selénio, iodo e ferro), vitaminas, carotenóides, clorofila, ácido gama-linolénico, etc.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Complemento de dietas de emagrecimento;
  • Reduz o apetite;
  • Regula o trânsito intestinal;
  • Ação antioxidante;
  • Nas anemias;
  • No hipotiroidismo;
  • Na gastrite;
  • Reforça as defesas naturais.

 



STEVIA

A sua designação em Latim é Stevia rebaudiana. É uma planta herbácea que cresce sobretudo em zonas de altitude e solo arenoso. É originária do Paraguai, mas atualmente tembém é cultivada no Brasil e na Ásia.

Os índios Guarani usavam as suas folhas para adoçar as bebidas e melhorar o sabor de certos remédios à base de plantas. Esta planta também era utilizada como um tónico para o coração e para ajudar a diminuir a tensão arterial, aliviar episódios de azia e problemas renais, bem como reduzir a vontade de ingerir doces.

 


 

T

 

TANACETO

A sua designação em Latim é Tanacetum vulgare. Planta herbácea vivaz das zonas temperadas do hemisfério Norte, cresce em terrenos incultos perto da água. pertence à família das Asteráceas (Compostas), sendo utilizadas as partes aéreas floridas. 

Estas são constituídas por óleoessencial (beta-tuiona, cânfora, borneol e hidrcarbonetos monoterpénicos), constituintes amargos, fitoesteróis, taninos, resinas, ceras, corpos gordos e sais minerais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Vermífugo;
  • Na falta de apetite;
  • Analgésico nos espasmos gastrointestinais;
  • Na disquinésia biliar.

 



TANCHAGEM

A sua designação em Latim é Plantago major L. É uma planta herbácea vivaz, nativa da Europa e regiões temperadas da Ásia e do Norte de África, em planícies e terrenos incultos, húmidos e sobretudo calcários. Pertence à família das Plantaginácea e utilizam-se as folhas.

Os seus principais constituintes são as mucilagens de ácidos urónicos, as pectinas,  e os glucósidos iridóides. As mucilagens têm efeito emoliente antialérgico, expetorante e reduzem a assimilação intestinal de glúcidos e lípidos. os glucósidos iridóides têm ação anti-inflamatória. Os taninos conferem-lhe uma atividade adstringente. As pectinas coadjuvam na ação laxante.

 


 

TÍLIA

A sua em Latim é Tilia europea, Tilia platyphyllos ou Tilia argentea. Árvore nativa da Europa, cultivada em várias regiões do globo. pertence à família das Tiliáceas. Utilizam-se as influorescência inteiras (flor) e, por vezes, a casca privada da cortiça (alburno). As influrescências são constituídas por mucilagens (principalmente arabinogalactanas), óleo essencial (farnesol, geraniol, eugenol), flavonóides, leucoantocianidinas, ácidos orgânicos e hidroxicumarinas. O alburno é constituído de mucilagens polifenóis, heterósidos cumarínicos, ácidos aromáticos, esteróis e triterpenos.

As inflorescências apresentam as seguintes propriedades:

  • Tranquilizante/ansiolítico;
  • Útil na ansiedade, insónia;
  • Espasmolítica;
  • Emoliente;
  • Útil em estados gripais, bronquite e tosse irritativa;
  • Usado nas más digestões e cólicas gastrointestinais;
  • Cefaleias por disfunção hepatobiliar;
  • Diurética e sudorífica.

O alburno apresenta as seguintes propriedades:

  • Expetorante;
  • Aumenta a secreção de bílis;
  • Diurético;
  • Vasodilatador;
  • Útil na hipertensão e prevenção de tromboembolismo;
  • Como colerético e espasmolítico na disfunção biliar;
  • No mau funcionamento do fígado;
  • Na celulite.

 


 

TOMATE

A designação em Latim do tomate é Lycospersicum esculentum. Oriundo da América  Central e do Sul, desde o Peru até ao México, o tomate era inicialmente cultivado e consumido pelas civilizações Asteca e Inca. Hoje em dia, é um dos principais ingredientes da dieta mediterrânica. Não obstante, o tomate constitui a espécie vegetal mais rica em licopeno (carotenóide responsável pela coloração vermelha dos vegetais) o que ditou o seu estudo, permitindo que se revelasse as suas propriedades antioxidantes, ou seja, remove os radicais livres que resultam da pxidaçãoi das células, e que são produzidos durante as funções normais do corpo humano.

O Licopeno apresenta também as seguintes propriedades:

  • Antioxidante;
  • Ajuda a diminuir a hiperlipidémia;
  • Previne o desenvolvimento de doenças cardiovasculares;
  • Ajuda a diminuir a proliferação de algumas células neoplásicas (próstata e mama);
  • Contribui para um nível glicémico adequado.

 



TOMILHO

A sua designação em Latim é Thymus vulgaris. É um arbusto nativo da Europa Meridional, sendo cultivado em todo o mundo. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), sendo utilizado o óleo essencial e as partes aéreas floridas. Estes são constituídos por óleo essencial (predomínio do timol e carvacrol), flavonóides derivados do apigenol e luteolol, ácidos fenólicos (cafeico e rosmarínico), taninos e saponósidos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação antiespasmódica brônquica;
  • Utilizada na tosse produtiva e bronquite, assim como coqueluche;
  • Nas afeções da orofaringe, catarro da parte superior do aparelho respiratório;
  • Afeções digestivas, meteorismo e cólicas.

 



TRIBULUS

Tribulus terrestris, na medicina Ayurvédica, é popularmente conhecido como Gokhshura. É uma planta nativa da região mediterrânica, e contém uma grande variedade de substâncias biologicamente ativas, incluindo saponinas esteroides, flavonoides, alcaloides, ácidos gordos insaturados, vitaminas e taninos.

O Tribulus terrestris tem sido usado como afrodisíaco, estimulante sexual e como potenciador da produção de espermatozoides, bem como uma alternativa à terapia hormonalde substituição em homens e mulheres com idade avançada.

 


 

TRIGO

A sua designação em Latim é Triticum spp. Herbácea anual, muito cultivada nas regiões temperadas. pertence à família das Poáceas (Gramíneas). O trigo é originário da antiga Mesopotâmia. Anteriormente, arqueólogos demonstraram que o cultivo do trigo é originário da Síria, Jordânia, Turquia e Iraque. Globalmente, é a segunda maior cultura de cereais, logo a seguir ao milho, sendo considerado um alimento básico e fundamental para a humanidade. Utilizam-se a farinha, farelo e o óleo dos embriões (óleo de gérmen de trigo).

O gérmen pode ser considerado como a parte viva da semente, onde são concentrados todos os nutrientes necessários para o crescimento da futura planta. É uma fonte natural de tocoferóis (vitamina E) com marcada ação antioxidante, ácidos gordos essenciais e vitaminas lipossolúveis.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Farinha: Nutritiva; Obstipante; Externamente, como emoliente.
  • Farelo: Na obstipação; Em curas de emagrecimento; Hipoglicemiante; Hipocolesterolemiante; Aumenta a eliminação fecal de cálcio.
  • Gérmen: Vitamínico; Nas hiperlipidémias, Redutor das taxas de colesterol e de triglicéridos; Antioxidante; Útil na arteriosclerose; Aumenta a resistência orgânica contra infeções. 

 



TUSSILAGEM

A sua designação em Latim é Petasites hybridus. Planta originária da Europa, Ásia e América do Norte, sendo usada na Medicina Tradicional para casos de espasmos nos tratos orogenitais e digestivos, asma, rinite alérgica, enxaquecas.

O estrato de raiz tem na sua composição ésteres de sesquiterpenos, com 15% de S-petasina.

O seu mecanismo de ação anti-inflamatório envolve a síntese de leucotrienos e o efeito vasorelaxante está relacionado com a redução da concentração intracelular de cálcio.

 


 

U

 

UNHA DE GATO

A sua designação em Latim é Uncaria tomentosa. É uma trepadora que pode atingir 30 metros de altura. Originária da América do Sul, crescendo em bosques com luz abundante. Utilizam-se as cascas, folhas e raízes, por conterem alcalóides oxindólicos pentacíclicos (isopteropodina, pteropodina, mitrafilina, hirsutina e outros), triterpenos poli-hidroxilados, álcoois indólicos, ácidos orgânicos, flavonóides, taninos, procianidinas e constituintes amargos entre outros.

Popularmente empregue em problemas reumáticos, gastrites, úlcera péptica, diabetes, inflamações intestinais, viroses, asma e alterações menstruais.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação anti-inflamatória;
  • Em afeções reumáticas;
  • Nas gastrites e úlcera péptica;
  • Na diabetes;
  • Nas inflamações intestinais;
  • Antioxidante;
  • Imunomodelador;
  • Antitumoral e antiviral;
  • Atividade antiplaquetária;

 



​ 

URTIGA VULGAR

A sua designação em Latim é Urtica dioica. Planta vivaz de regiões temperadas da Europa, África Austral, Andes e Austrália, em locais cultivados, húmidos e sombrios. pertence à família das Urticáceas, sendo utilizadas as partes aéreas floridas e a raiz.

As partes aéreas floridas são constituídas de flavonóides, sais minerais, ácidos orgânicos, pró-vitamina A, mucilagens, beta-sitosterol, vitamina C e do complexo B e nitratos. Nos tricomas (pêlos urticantes) encontra-se acetilcolina, histamina, serotonina e ácido fórmico. As raízes são constituídas por taninos, linhanos, fitosteróis (beta-sitosterol), ceramidas, fenilpropanos, polifenóis, monoterpenóides, lectinas, polissacáridos e sais minerais.

As partes aéreas floridas apresentam as seguintes propriedades:

  • Diurética;
  • Nos processos inflamatórios das vias urinárias;
  • No tratamento de cálculos renais;
  • Na terapêutica de suporte em reumatismos;
  • Externemente, em caso de reumatismo.

As raízes apresentam as seguintes propriedades:

  • Nas dificuldades de micção na hiperplasia benigna da próstata (grau I e II);
  • Diurética;
  • Nas inflamações genito-urinárias.

 



 

URTIGA BRANCA

A sua designação em Latim é Lamium album. Planta vivaz, originária da Europa e Ásia Central e Setentrional. Pertence à família das Lamiáceas (Labiadas), sendo utilizadas as flores e as partes aéreas floridas. estas são constituídas por taninos, saponinas triterpénicas, mucilagens, flavonóides, aminas biogenéticas (histamina, tiramina, metilamina), ácidos fenólicos e iridóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação anti-inflamatória;
  • Emoliente;
  • Expectorante;
  • Adstringente;
  • Útil em catarros da parte superior do aparelho respiratório;
  • Externamente, em inflamações das mucosas orofaríngeas, na leucoreia e nas inflamações leves da pele.

 



URZE

A sua designação em Latim é Calluna vulgaris. Arbusto vivaz, indígena da Eurásia temperada, cultivado na Holanda e em França. Pertence à família das Ericáceas, sendo utilizada as partes floridas. estas são constituídas por flavonóides, glucósidos da hidroquinona (arbutósido), taninos, procianidinas oligoméricas, derivados do ácido cafeico, fenóis, triterpenos e esteróis.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Antissético;
  • Adstringente;
  • Diurético;
  • Nas infeções urinárias;
  • Na hiperplasia da próstata;
  • Na hiperuricémia, gota e reumatismo;
  • Na hipertensão arterial;
  • Externamente, nos eczemas, infeções orofaríngeas e vulvares.

 



UVA URSINA

A sua designação em Latim é Arctostaphylus uva-ursi. Subarbusto rasteiro da Europa, naturalizado em todo o hemisfério setentrional, crescendo em terrenos húmidos e com vegetação rasteira, charnecas e prados. Pertence à família das Ericáceas, sendo utilizadas as folhas.

Estas são constituídas por heterósidos hidroquinónicos, taninos hidrolisáveis e condensados, pigmentos flavónicos derivados do quercitol, triterpenos pentacíclicos, piceósido, flavonóides e alantoína.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Nas infeções do aparelho urinário;
  • Nas diarreias e infeções intestinais;
  • Adstringente;
  • Ligeira ação diurética;
  • Antimicrobiano e anti-inflamatório das vias urinárias;
  • Externamente, em infeções cutâneas e em mucosas.

 



V

 

VALERIANA

A sua designação em Latim é Valeriana officinalis L. Planta vivaz, nativa da Europa (exceto zona mediterrânica e Ásia Setentrional), em lugares húmidos, principalmente nas florestas e margens dos rios. Muito cultivada na Europa Central e Oriental. Pertence à família das Valerianáceas, sendo utilizados os rizomas e as raízes. 

Estas são constituídas por sesquiterpenos (ácido valerénico, ácido acetovalerénico, valerenol, entre outros), iridóides, ácido gama-aminobutírico (GABA), óleo essencial, flavonóides, glutamina, arginina e vestígios de alcalóides.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Calmante e tranquilizante;
  • Eficaz contra a ansiedade;
  • Útil nos desequílibrios do sistema nervoso;
  • Relaxante muscular;
  • Nas cólicas gastrointestinais e nas colites devido ao stress;
  • Broncospasmos de origem nervosa.

 



VARA DE OURO

A Vara de Ouro, Solidago virgaurea L., em Portugal, localiza-se especialmente no Minho, Beiras e Centro.

As partes aéreas floridas possuem atividades diurética e anti-inflamatória fundamentalmente devido a possuírem na sua composição flavonóides e saponinas.

As saponinas exercem uma ação diurética devido a provocarem uma irritação das mucosas. Esta ação irritante leva também a uma ativação não específica do sistema imune, com consequente benefício nos processos inflamatórios. As saponinas também possuem uma atividade antifúngica, nomeadamente sobre a candidíase.

Os flavonóides possuem ação diurética associada a um efeito inibidor sobre a lipoxigenase e/ou cicloxigenase, o qual pode também explicar a sua atividade anti-inflamatória.

 


 

VERBASCO

A sua designação em Latim é Verbascum thapsus L. Planta bienal nativa da Europa Central e meridional e da Ásia Ocidental. Crece em terrenos expostos e incultos. Pertence  à família das Escrofulariáceas. Utilizam-se as flores, folhase raízes.

As flores contêm mucilagens (arabinogalactanas e xiloglucanas), saponinas triterpénicas (verbascosaponósido), óleo gordo com fitostróis e carotenóides, flavonóides, vestígios de óleo essencial, taninos, iridóides, frutose e ácidos fenólicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Emoliente;
  • Anti-inflamatório;
  • Antitússico e expetorante;
  • Nas afeções respiratórias (asma, tosse, bronquite);
  • Diurético;
  • Antialérgico;
  • Afeções cutâneas (dermatites, queimaduras e furúnculos).

 



VERBENA

A sua designação em Latim é Verbena officinalis. Planta vivaz crescendo em todas as zonas temperadas do globo, em terrenos bem drenados e com sol. Pertence à família das Verbenáceas, sendo utilizada as partes aéreas floridas. estas são constituídas por heterósidos de iridóides monoterpénicos e suas geninas, derivados do ácido cafeico (verbascósido), flavonóides, mucilagens, vestígios de óleo essencial e procianidinas oligoméricas.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Adstringente;
  • Anti-inflamatório;
  • Nas inflamações do trato respiratório superior (tosse e bronquite);
  • Externamente, em inflamações cutâneas e tosse orofaríngeas.

 



VIBURNO (VIBURNUM OPULUS)

A sua designação em Latim é Viburnum opulus. Árvore pequena ou arbusto de 2 a 4 metros, comum em bosques húmidos da Europa e da América do Norte. Pertence à família das Caprifoliáceas, sendo utilizadas as cascas dos troncos e ramos. É constituída por cumarinas, flavonóides, viburtinal, saponinas triterpénicas, resinas, salicina, ácidos orgânicos, viburnina, taninos catéquicos.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Ação sedativa;
  • Espasmolítica;
  • Nas dores mentruais e reumáticas;
  • Nas cólicas intestinais;
  • Externamente, nas dores musculares e em massagens.

 



VIBURNO (VIBURNUM LANTANA)

A sua designação em Latim é Viburnum lantana. É um arbusto com cerca de 2 a 3 metros de altura que é frequente na Europa, aparecendo nos bosques e silvados até 1500 metros de altura. Os ramos são tormentosos e estrelados. o fruto é uma baga verde tornando-se negra na maturação. Pertence à família das Viburnáceas. Tem um sabor acre e um cheiro intenso. Contém ácido vibúrnico.

Apresenta as seguintes propriedades:

Adstringente;
Antioxidante;
Tem propriedades refrescantes.

 



VIDEIRA VERMELHA

A sua designação em Latim é Vitis vinifera L. Planta vivaz, nativa da Europa Meridional e Ásia Oriental, é cultivada em todas as regiões temperadas e quentes. Pertence à família das Vitáceas. Utilizam-se as folhas, sementes e o óleo extraído das sementes.

As folhas possuem taninos (procianidinas oligoméricas), flavonóides (derivados glucosilados de campferol e da quercetina), antocianidinas e estilbenos (resveratrol e viniferinas). As sementes são ricas em óleo, remicelulosas e procianidinas. O óleo das sementes possui ácidos insaturados e saturados, fitosteróis e tocoferóis.

Devido à sua constituição, as folhas e as sementes da videira apresentam as seguintes propriedades:

  • Útil na insuficiência venosa crónica;
  • Em caso de pernas cansadas;
  • Útil em edemas;
  • Tratamento de varizes;
  • Útil em caso de fragilidade capilar;
  • Útil em caso de hemorróidas;
  • Tónico venoso.

​O óleo das sementes apresenta as seguintes propriedades:

  • Prevenção da arteriosclerose;
  • Em caso de hiperlipidemias;
  • Antioxidante.

 



VISCO BRANCO

A sua designação em Latim é Viscum album. Planta hemiparasitaria perene da Europa e Ásia Setentrional, que cresce sobre as latifólias, principalmente macieiras, choupos e tílias. Pertence à família das Lorantáceas, utilizam-se as folhas e rebentos. os seus principais constituintes são: glucoproteínas (lectinas), polipeptídeos, mucilagens, fenilpropanos, linhanos, flavonóides, tiramina e outras aminas, saponósidos triterpénicos, ácidos fenilcarboxílicos, triterpenos e glucósido cardiotónico.

Apresenta as seguintes propriedades:

  • Prevenção da arteriosclerose e de problemas reumáticos;
  • Imunoestimulante em doenças tumorais;
  • No tratamento de inflamações degenerativas;
  • Ação hipotensora;
  • Regulariza o ritmo cardíaco.

 




Z

 

ZIMBRO

A sua designação em Latim é Juniperus communis. É um arbusto de 1 a 3 metros, crescendo na Europa, Ásia Ocidental e Setentrional e América do Norte, principalmente em zonas montanhosas. Pertence à família das Cupressáceas, sendo utilizado as gálbulas (frutos) maduras, cascas do tronco, de ramos e de raízes e o óleo essencial.

As gálbulas são constituídas por óleo essencial, sesquiterpenos, fenóis, ésteres, constituinte amargo (juniperina), resina, lípidos, glicéridos de ácidos gordos diversos, diterpenos, oses, taninos hidrolisáveis e flavonóides. As cascas são constituídas de diterpenos, sesquiterpenos, taninos hidrolisáveis, procianidinas oligoméricas, linhanos, fitoesteróis e leucoantocianidinas.

As gálbulas apresentam as seguintes propriedades:

  • Na dispepsia e na falta de apetite;
  • Digestivo;
  • Aperitivo;
  • Diurético;
  • Depurador;
  • Expetorante;
  • Nas afeções do aparelho urinário e litíase;
  • Antissético;
  • Externamente, como rubefaciente, antimicótico e nas inflamações reumáticas.

As cascas apresentam as seguintes propriedades:

  • Antioxidante;
  • Venoprotetor;
  • Diurético e diaforético;
  • No reumatismo e afeções dermatológicas;
  • Externamente nas dores reumáticas.